Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Siga-nos nas redes sociais:

Petrobras não é única responsável por preço, diz presidente da estatal

Silva e Luna presta esclarecimentos no Senado sobre reajustes 23/11/2021 - 11:10:42

O presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, disse, nesta terça-feira (23), que a Petrobras não tem o monopólio no setor de combustíveis no Brasil desde 1997 e que, por isso, não é correto responsabilizar unicamente a estatal pelo aumento dos preços.

“Boa parte da sociedade está presa à Petrobras de ontem e não à de hoje. A afirmação de que a Petrobras é um monopólio não está correta. Ela compete livremente com outros atores do mercado“, disse durante audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado.

Convidado para esclarecer as altas nos valores cobrados pelo diesel e a gasolina aos senadores, Silva e Luna disse que a estatal responde por apenas uma fração dos preços do combustível no Brasil. Ele lembrou aos senadores que empresas importadoras têm participação no mercado e na formação de preços. Entre exemplos de grandes importadoras de diesel e gasolina, ele citou Vibra, Ipiranga, Raízen e a Atem.

“A Petrobras acompanha preços de mercado, resultado do equilíbrio entre oferta e demanda. A Petrobras reajusta os preços dos combustíveis observando os mercados externo e interno, competição entre produtores e importadores e a variação do preço no mercado mundial, observando se trata de fenômeno conjuntural ou estrutural”, argumentou.

Pandemia
Silva e Luna iniciou a exposição com um resumo do contexto internacional que afetou o preço do petróleo nos últimos dois anos. Ele lembrou que o preço do petróleo no mercado internacional, o PPI, preço de paridade de importação, não é a única variável que afeta os valores praticados pela empresa.

“A pandemia e o combate a ela nos colocaram em uma posição diferenciada. Tivemos como consequência um choque de demanda elevado, com uma oferta inferior à demanda. Como consequência, uma escalada muito grande do preço das commodities. [Além disso], uma crise hídrica e a desvalorização do real em relação ao dólar”, ressaltou.

Ao declarar que a Petrobras chegou a ficar, sob sua gestão, 92 dias sem reajustar o valor do gás de cozinha, 85 dias sem reajustar o diesel e 56 dias sem alterar o preço da gasolina, o presidente da estatal foi criticado pelo senador Omar Aziz (PSD-AM). “O salário do trabalhador brasileiro não é alterado a cada 90 dias, como o combustível é hoje quase diariamente. É uma brincadeira achar que se está fazendo um grande favor aos brasileiros”, disse o senador.

Capacidade
Questionado pelo presidente da CAE, senador Otto Alencar (PSD-BA), sobre notícias de que as refinarias estariam operando abaixo da capacidade máxima, Silva e Luna disse que a média de produção das atuais 13 refinarias instaladas no país está em torno de 90%. Segundo o presidente da Petrobras, houve paradas programadas, por causa da covid-19, que já foram concluídas. “Estamos vivendo hoje um momento de capacidade máxima, todas as refinarias funcionando”, garantiu.

Imposto
O presidente da Petrobras criticou a criação de um imposto sobre a exportação de petróleo cru, em debate no Senado, para capitalizar um fundo de equalização de preços dos combustíveis. “Eventual taxa para a exportação de óleo pode trazer prejuízos para o mercado”, avaliou, acrescentando que “preços artificiais” fragilizam o mercado.

Ainda na visão de Silva e Luna, no momento em que a estatal tenta vender parte das suas refinarias, uma possível taxação às exportações de petróleo bruto pelo Brasil poderia gerar insegurança jurídica e afastar investidores do país. Para ele, uma medida que poderia ser tomada no sentido de reduzir a volatilidade do preço dos derivados do petróleo no mercado interno, seria a criação de um fundo estabilizador com os dividendos da Petrobras, que este ano serão recorde.

Edição: Fernando Fraga

Foto Reprodução

Fonte: Agência Brasil / Karine Melo

Veja tambem

06/12/2021 | CONTRA COVID-19

AL vota nesta 3ª projeto que proíbe passaporte da vacina em MT

Inicialmente, projeto englobava apenas comércio e igrejas; substitutivo pede vedação em locais públicos e privados

06/12/2021 | CUIDE DO SEU QUINTAL

Mutirão contra dengue continua em mais três bairros

Na programação desta semana, também estão previstos trabalhos nos bairros Jequitibás e Violetas.

06/12/2021 | TABULEIRO POLÍTICO

Emanuel articula com ex-deputado federal candidatura da oposição em MT

Prefeito ainda elogiou nome de produtor rural como "candidato da direita" no Estado

05/12/2021 | DISCUSSÃO PREMATURA

Barbudo diz que direita precisa resolver 'racha' antes de pensar em projeto ao governo

04/12/2021 | ANÁLISE

Evangélicos conquistam 'filé-mignon' com André Mendonça no STF

Pastores lutaram para garantir a chegada de um dos seus à mais alta corte do país

03/12/2021 | PRECATÓRIO MILIONÁRIO

Justiça notifica ex-governador e mais 8 para explicarem rombo de R$ 61 mi em MT

Esquema envolveu pagamento de propina para Governo quitar precatório de construtora

02/12/2021 | MARIA DA PENHA

Prefeitura sanciona lei que proíbe a contratação de agressores no Executivo municipal

02/12/2021 | DISCUSSÃO NAS REDES

Vereadora do PT é condenada a indenizar Cattani por danos morais

Edna Sampaio fez acusação após postagem de Cattani nas redes sociais

01/12/2021 | COVID-19

Quarta-feira (01): Mato Grosso registra 553.025 casos e 14.001 óbitos por Covid-19

Há 41 internações em UTIs públicas e 25 em enfermarias públicas; taxa de ocupação está em 23% para UTIs e em 5% para enfermaria

01/12/2021 | ANDRÉ MENDONÇA JUSTIÇA

Nome de André Mendonça ao STF é aprovado na CCJ no Senado

Ex-ministro da Justiça teve 18 votos a favor e 9 contra

01/12/2021 | CUIDE DO SEU QUINTAL

Sinop: 96% de amostras coletadas são positivas para transmissores de dengue

01/12/2021 | LEGISLATIRO SINOP MT / VEREADOR CÉLIO GARCIA

Célio Garcia pede melhorias para Residencial Adriano Leitão

As duas indicações foram direcionadas ao Residencial Adriano Leitão. Célio sugeriu que seja construído no bairro, um campo de futebol Society, com grama sintética, e uma quadra de vôlei de areia.