Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Siga-nos nas redes sociais:

Ex diretor de grupo revela propina de R$ 230 mil na Copa de 2014

Marco Cortes disse que dinheiro serviu para garantir prestação de serviços médicos durante evento 13/09/2021 - 10:05:38

O ex-diretor geral do Grupo Prox, Marco Aurélio Carvalho Cortes, afirmou que houve o pagamento de R$ 230 mil para prestação de serviços médicos durante a Copa do Mundo de 2014.

A informação consta nas alegações finais do Ministério Público Federal do processo proveniente da segunda fase da operação, protocoladas para o juiz Paulo Sodré, da 7ª Vara Federal de Cuiabá no dia 27 deste mês.

O grupo Prox era integrado pelas empresas ProClin e Qualycare e é investigado no âmbito da Operação Sangria.

A operação – que conta com duas fases - apura irregularidades em licitações e contratos firmados pela Prefeitura de Cuiabá e Governo do Estado com o grupo.

Já a segunda fase da ação investiga o grupo por atrapalhar as investigações.

Ao juízo da Vara Federal, Marco Aurélio – que figura como testemunha do caso - revelou que o grupo havia desembolsado a título de propina os R$ 230 mil para prestar os serviços à época da Copa do Mundo, em junho de 2014. 

À época o Estado estava sob gestão do Silval Barbosa e a Saúde era comandada por Jorge Lafetá.

Outra testemunha do caso, a médica cardiologista Andrea Roledo confirmou a prestação de serviços pelo grupo ao Estado.

“Citou ainda um pagamento de propina no valor de R$ 230.000,00 para prestação de serviços médicos da Copa do Mundo de 2014. A testemunha Andrea R., médica, confirmou que a prestação de serviços médicos na Copa do Mundo 2014 foi feita pelas empresas do Grupo Prox”, consta em trecho do documento do MPF.

Veja trecho do documento:

R$ 20, 4 mil a secretário

Em seu depoimento, Marco Aurélio  disse que esteve à frente das empresas, entre 2012 e 2015, o Grupo Prox tinha “muitos contratos com poder público” e que “normalmente era por dispensa de licitação”. 

E que foram firmados contratos mediante pagamento de propina desde 2013, quando Jorge Lafetá se tornou Secretário Estadual de Saúde.

Ainda segundo o ex-diretor uma propina de R$ 20,4 mil mensais era dada ao chefe da Saúde Estadual para manutenção de contratos e recebimentos de valores do Executivo. 

O valor, no entanto, era acrescido quando a propina se tratava aos serviços referentes ao Hospital São Benedito, gerenciado pela Empresa Cuiabana de Saúde Pública.

“Disse que, para que houvesse manutenção de contratos com o poder público nessa época e recebimento dos valores contratados, era necessário  pagar, a título de propina, R$ 20.400,00 mensalmente a ele”, consta em documento.

Os pagamentos, segundo o ex-diretor era pagos em dinheiro “vivo”. “Era emitido um cheque da empresa, que era sacado na boca do caixa e entregue para Jorge Lafetá em espécie”. 

Veja trecho do documento:

Câmeras de filmagem

Segundo Marco Aurélio, Jorge Lafetá ia buscar o montante na sede da empresa, no Edifício Santa Rosa Tower, em Cuiabá.

O ex-diretor ainda disse em depoimento que recomendou e posteriormente chegou a ser instaladas câmaras de segurança no local. 

“Marcos Aurélio Carvalho Cortes disse ainda que recomendou que se pusesse uma câmera no local onde a propina era retirada, a fim de que captar a entrega das propinas aos agentes públicos. Disse que a câmera realmente foi instalada, todos os sócios tinham ciência que ela existia, mas que o único que viu mexendo efetivamente na câmera foi Fábio Liberali”, consta em documento do MPF.

Foto Reprodução

Fonte: Midia News / CÍNTIA BORGES

Veja tambem

19/10/2021 | SAÚDE MENTAL

Secretaria lança programação de pré-conferências para debater saúde mental em Sinop

19/10/2021 | TRE MANDATO CATTANI

Por unanimidade, TRE extingue ação que pedia perda de mandato de Cattani

_Corte não entendeu que houve infidelidade partidária e manteve vaga com bolsonarista_

19/10/2021 | OPERAÇÃO CAPISTRUM

Contratações irregulares da saúde geram afastamento de Emanuel

Em nota, prefeito se disse "surpreso" com decisão do Poder Judiciário

19/10/2021 | OPERAÇÃO CAPISTRUM

TJ afasta Emanuel da prefeitura de Cuiabá; chefe de gabinete é preso

Primeira-dama e assessores diretos do gestor também são alvos do Naco

19/10/2021 | PAGAMENTOS DE R$ 61 MILHÕES

Justiça torna réus Silval, Eder e mais 8; Blairo e mais 2 se livram

Caso se refere a uma das fases da Operação Ararath, sobre esquema de lavagem de dinheiro

18/10/2021 | CIRURGIAS GINECOLÓGICAS

Prefeitura faz mutirão de consultas pré-cirúrgicas em mulheres e define cirurgias

15/10/2021 | GOVERNO DO MATO GROSSO/ BOLÍVIA

Governador assegura fornecimento de gás natural a MT em reunião com ministro de Hidrocarburos e presidente da YPFB

Durante a reunião, nesta sexta-feira (15.10), Mauro Mendes também tratou da ampliação no fornecimento de gás para o Estado

15/10/2021 | MELHORIAS NO TRÂNSITO

Secretaria de Trânsito de Sinop busca implantar sistema usado na PRF

14/10/2021 |

Mães assistidas pela Assistência Social falam da importância dos serviços dos Cras para as famílias

14/10/2021 | LEGISLATIVO SINOP VEREADOR

VEREADOR APROVA PL QUE INSTITUI A “SEMANA DO EMPREENDEDORISMO”.

14/10/2021 | POLÍTICA DEPUTADO CATTANI

PL que concede incentivos fiscais para empresas que utilizam matéria-prima da agricultura de MT é aprovado

Proposta do deputado Gilberto Cattani estimula o empreendedorismo e fortalece economia

14/10/2021 | CRIANÇAS E ADOLESCENTES

Dia 'D' de multivacinação será neste sábado em Sinop