Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Siga-nos nas redes sociais:

SINOP - GESTÃO ESTÓLIDA MOSTRA SUA MARCA

19/05/2021 - 10:09:03

Se for um reflexo de todo o mandato o que está acontecendo nestes primeiros 05 (cinco) meses de gestão, nosso município amargará a maior decepção de sua história.

O desastre administrativo se apresenta de uma forma tão perniciosa que é quase impossível prever o tamanho da catástrofe que aguarda nossa querida urbe.

Várias são as incursões desta nova equipe insciente em gestão pública que causa estuporação ao indivíduo mais pueril.

A maioria destes novos próceres está acometida de uma quimera fazendo-os sentir proprietários do bem público e a frase mais ouvida em todos os órgãos municipais é: “sou eu quem manda, vou fazer do meu jeito”.

Nas imagens abaixo se pode comprovar as truanices engendradas por alguns “chefes omniscientes”.

Nas primeiras imagens, o que deveria ser um dos cartões postais, logo na entrada do centro da cidade, mais especificamente na “Praça da Bíblia” nos mostra a forma com essa administração pretende resolver os problemas. No local projetado para funcionar um chafariz, foi alvo de denúncia nas redes sociais, devido o acúmulo de larvas de mosquito, fruto da falta de zelo por parte da administração. Para resolver o problema a “genialidade” foi quebrar a base da “piscina” e colocar um cano para vazão da água, quando deveriam limpar, clorar, equilibrar o PH e por em funcionamento o chafariz.

Para fazer uma pequena comparação do bairro Aquarela Brasil, na Avenida Villa Lobos, existem 03 (três) chafarizes, mantidos pelos moradores e com certeza eles não têm orçamento em torno 700 milhões para o exercício 2021 como o município.

Outra das inúmeras pérolas desta nova casta de eruditos diz respeito ao setor de cultura. Na Biblioteca Pública Municipal, onde por anos se viu centenas ou quiçá milhares de livros acondicionados em caixas por falta de espaço nas estantes, agora tende a piorar, eis que a nova diretoria resolveu cortar as estantes suprimindo diversas prateleiras, o que já era precário fica caótico.

Da mesma forma o Museu municipal deverá excluir do seu acervo histórico, diversos itens obtidos com o esforço de seu idealizador Professor historiador Luiz Erardi, que segundo consta não faz o perfil do novo “dono” da pasta.

Se esse for um prelúdio do que está por vir o futuro de nossa amada urbe será caliginoso.

Fonte: O Sombra

Veja tambem