Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Siga-nos nas redes sociais:

Retomando o fôlego: os novos ares da economia em Mato Grosso

28/03/2022 - 21:01:35

Aos poucos, os ares da economia começam a soprar de maneira mais suave enquanto o ritmo financeiro demonstra sinais de retomada na economia, ao menos, em Mato Grosso, um estado de oportunidades. Embora por aqui, também tenhamos sentido os impactos da pandemia, mostramos, mais uma vez, um cenário mais otimista e com ritmo de recuperação mais acelerado em comparação com outros entes federados. Prova disso é que, das 15 regiões pesquisadas pelo IBGE, em janeiro de 2022, 10 tiveram queda na produção industrial. Mato Grosso, além de figurar entre as que tiveram resultado positivo, ficou em primeiro lugar no ranking produtivo.

A queda de 2,4% da produção industrial nacional na passagem de dezembro de 2021 para janeiro de 2022, na série com ajuste sazonal, foi acompanhada por 10 dos 15 locais pesquisados. O Amazonas registrou a queda mais acentuada (-13,0%). Já na outra ponta, Mato Grosso registrou aumento de (4,0%) marcando a quarta taxa positiva seguida e acumulando nesse período expansão de 37,6%.

Não podemos, diante disso, desconsiderar o potencial do nosso agronegócio, que além de seu destaque mundial na produção de grãos e de gado, ainda avançou de maneira acelerada na questão tecnológica. O potencial turístico em Mato Grosso (privilegiado por possuir três ecossistemas: floresta amazônica, pantanal e cerrado), também salta os olhos do mercado, visto que pesquisas mostram que as pessoas estão mais propensas a viajar no pós-pandemia, depois de quase dois anos de restrições.

O avanço da vacinação contra a Covid-19 foi um estímulo à retomada de antigos hábitos de consumo como o retorno às lojas físicas e a intenção de participar de eventos e de viagens. Esta foi uma das conclusões da terceira edição do Global Consumer Insights Survey, realizada pela PwC. O estudo ouviu 9.370 consumidores de diferentes países, incluindo o Brasil, sobre a mudança de hábitos de consumo. A maioria dos participantes foi de pessoas entre 25 e 53 anos. Quase 45% indicaram que têm intenção de viajar nos próximos meses. Mato Grosso, se souber aproveitar essa inclinação do mercado, pode abocanhar uma boa parcela desses turistas, afinal, belezas naturais, por aqui, não faltam!

É fato que a Covid-19 deixou marcas, visto que mais de catorze mil oitocentos e cinquenta mato-grossenses perderam a batalha para o vírus e, embora em uma escala significativamente menor, ainda faça vítimas, o vírus já mostra sinais de que perdeu a guerra e agora, estamos voltando, mais fortes do que nunca. Aprendemos novas formas de comunicação e o distanciamento social nos fez refletir sobre a importância dos relacionamentos entre nossos entes queridos. Aprendemos a valorizar ainda mais o ser humano.

Em Cuiabá, o cenário de recuperação econômica revela essa aceleração em comparação a outras capitais. Um levantamento nacional divulgado este mês de março pelo jornal O Estado de São Paulo, coloca Cuiabá entre as 10 melhores cidades brasileiras para empreender. As informações constam na pesquisa feita pela Escola Nacional de Administração Pública (Enap), em parceria com a Endeavor Brasil.

Outra pesquisa, desta vez medindo o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec), aponta que na capital mato-grossense, a pontuação atingiu 138,1 em março deste ano, encerrando o primeiro trimestre de 2022 com o melhor resultado dos últimos 13 meses. Os dados são da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Estamos, ao que me parece, finalmente, vivendo aquele sopro de esperança que tanto almejávamos desde quando essa crise sanitária mundial assombrou a sociedade, nos enclausurando em nossas casas e nos mantendo distantes, pelo bem de nossa saúde. Agora, aquela esperança já não é mais espera, agora, é cada vez mais real.

Estamos mais felizes em poder fazer previsões menos assombrosas do que há pouco tempo vislumbrávamos. A economia é movida por pessoas. Nós estamos derrotando a Covid, graças à ciência e às vacinas. Vencemos os negacionistas e agora estamos vencendo a crise econômica provocada pela pandemia. Finalmente, 2022 começou. Novo tempo, novos ares. Viva à economia!

Evaldo Silva – economista, presidente do Conselho Regional de Economia de Mato Grosso, publicitário e Diretor Executivo da Band em Mato Grosso.

Fonte: Redação

Veja tambem