Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Siga-nos nas redes sociais:

Putin avança para isolar Ucrânia do mar, e Kiev volta a ser bombardeada

A campanha russa assim avança, mas aos olhos de analistas com diversos problemas 05/03/2022 - 10:14:48

O nono dia da invasão russa da Ucrânia viu a retomada dos bombardeios à periferia de Kiev e um avanço que indica o desejo de Vladimir Putin de cortar o acesso do país ao mar Negro.
 
Não houve, contudo, nenhum grande movimento até o começo da noite (tarde no Brasil) no país. "Essa guerra pode não acabar logo", disse o secretário de Estado americano, Antony Blinken, uma certa obviedade.

Mas a dinâmica do dia pode ou não ter a ver com as negociações feitas com Comitê Internacional da Cruz Vermelha para ajustar os parâmetros do corredores humanitários.

Acertados na negociação ocorrida na Belarus entre delegações russa e ucraniana na quinta (3), os corredores teoricamente facilitarão a saída de civis de áreas sob bombardeio, o que implica cessar-fogo de forma pontual.

Nada parece definido, mas é de se supor que será ofertado à região de Kharkiv (nordeste) e de Mariupol (sudeste), que estão cercadas e sofrem bombardeios mais pesados de artilharia e mísseis. Se seguir o protocolo de ação na guerra civil da Síria, a Rússia vai aproveitar a retirada para tentar dominar as localidades.

A prefeitura de Mairupol, último ponto de resistência a evitar o estabelecimento de uma ponte terrestre unindo a região de Rostov russa à Crimeia anexada em 2014 por Putin, passando pelos territórios rebeldes pró-Moscou do Donbass, disse em comunicado que a cidade está sendo exterminada.

Há dois dias não há água ou luz, em um cerco clássico para tentar subjugar a população civil. Mas a novidade nesse flanco sul das ações de Putin, do ponto de vista operacional, foi o início do avanço rumo ao mais importante porto ucraniano, Odessa.
 
Ao longo da sexta, o governo da cidade de Mikolaiv disse que estava sob uma invasão russa, sem maiores detalhes. A cidade fica a oeste de Kherson, centro regional que fora conquistado por Moscou na antevéspera. Dali, são 130 km até Odessa.

Se essa área toda cair, o plano de "fechar" a costa ucraniana, um objetivo secundário presumido da invasão, poderá começar a ganhar corpo. Naturalmente, daí para manter uma ocupação é algo bem diferente, envolvendo muito mais do que os talvez 200 mil homens empregados pelo Kremlin até aqui.

Já a meta primária da campanha, algo sempre hipotético fora do comando russo, Kiev, registrou bombardeios em sua periferia após ter passado um dia sem incidentes mais sérios –na quinta, o problema maior foi para os moradores de Tchernihiv (150 km a nordeste da capital), em um ataque que matou dezenas num bloco residencial.

Houve boatos de que a coluna blindada estacionada a cerca de 25 km da periferia de Kiev estaria se preparando para marchar, mas nada ocorreu durante o dia. Em Borodianka, uma cidadezinha 60 km a noroeste da capital, os Serviços de Emergência da Ucrânia reportaram haver até cem pessoas debaixo dos escombros de um edifício.

A campanha russa assim avança, mas aos olhos de analistas com diversos problemas. Além de erros como a divisão de objetivos e dispersão de forças, uma coisa intriga especialmente: o fato de a Força Aérea da Ucrânia, aparentemente, ainda conseguir lançar ataques.

Segundo o Estado-Maior do país, só na quinta houve bombardeios com aviões de ataque Su-25 contra posições russas perto de Kiev, Sumi e Kharkiv. Já Moscou diz ter controle do espaço aéreo do país, tendo suprimido a maioria de suas defesas e também aeronaves.

A verdade deve estar em algum lugar no meio do caminho, mas o fato é que o Kremlin não tem utilizado de forma ostensiva aviões de combate. Alguns Su-25 e seus primos mais avançados, os Su-34, foram avistados em ação, mas nada mais. O grosso do trabalho pelo ar é feito com mísseis de cruzeiro e balísticos.

As operações de assalto aerotransportado por helicópteros também têm redundado em fracassos, com exceção da tomada do aeroporto de Hostomel, perto de Kiev, para servir de ponta de lança pelos ataques a noroeste da capital. Tentativa de desembarque perto de Lviv (oeste) e Kharkiv redundaram em retiradas.

 SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) 

Fonte: Noticias ao Minuto - © Getty

Veja tambem

06/08/2022 | grãos da Ucrânia

Primeiro navio estrangeiro chega à Ucrânia desde o início da guerra

Embarcação tem a bandeira de Barbados.

02/08/2022 | INTERNACIONAL

Biden: ataque dos EUA no Afeganistão mata líder da Al Qaeda

Havia recompensa de US$ 25 milhões por Ayman al-Zawahiri

06/07/2022 | INTERNACIONAL

Juventudes rurais de todo o mundo se reuniram na Costa Rica para trocar experiências sobre agricultura regenerativa

Na sede central do IICA, na Costa Rica, embaixadores da rede NextGen Ag Impact Network (NGIN) ratificaram que a agricultura é fundamental para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

06/07/2022 | INTERNACIONAL

Avanço russo na região de Donetsk foi frustrado até agora, diz Ucrânia

Sloviansk e outras áreas, no entanto, são fortemente bombardeadas

28/05/2022 |

Rússia exibe míssil de cruzeiro hipersônico Zircon em teste no mar

Míssil foi disparado do Mar de Barents e atingiu um alvo no Mar Branco

06/05/2022 | EXPLOSÃO HAVANA

Explosão em hotel no centro de Havana mata pelo menos quatro pessoas

Presidente cubano descartou que causa tenha sido uma bomba Share on WhatsApp Share on Facebook Share on Twitter Share on Linkedin

30/04/2022 | MUNDO - GUERRA NA UCRÂNIA

Polônia já enviou mais de 200 tanques para a Ucrânia

A informação é da estatal Rádio Polonesa.

15/04/2022 | MUNDO GUERRA

Ucrânia diz ter atacado comboio militar e principal navio russo na região

Na região de Kharkiv, a Ucrânia informou que atingiu uma ponte por onde passava um comboio russo

06/04/2022 | MUNDO SANÇÕES

EUA anunciam sanções contra filhas de Vladimir Putin

As sanções são uma retaliação dos americanos e aliados devido à invasão da Rússia ao território ucraniano

03/04/2022 | MUNDO RÚSSIA-UCRÂNIA

Rússia culpa 'radicais da Ucrânia' por corpos em Butcha e convoca Conselho de Segurança da ONU

A informação foi compartilhada pelo vice-embaixador russo na ONU, Dmitri Polianski, em um aplicativo de mensagens, de acordo com a agência de notícias RIA.

19/03/2022 | MUNDO GUERRA

Ataque russo mata meia centena de soldados ucranianos em Mykolaiv

Ataque ocorreu enquanto dormiam.

19/03/2022 | MUNDO GUERRA

Ataque russo mata meia centena de soldados ucranianos em Mykolaiv

Ataque ocorreu enquanto dormiam.