Siga-nos nas redes sociais:

Óticas são alvo de operação contra propaganda enganosa e exercício ilegal de medicina

Nos estabelecimentos foram constatados uso de propaganda enganosa e de exercício ilegal da medicina. 06/01/2018 - 11:53:46

Duas óticas que atuavam com práticas abusivas ao consumidor foram alvos de uma operação deflagrada, nesta sexta-feira (05.01), pela Delegacia Especializada do Consumidor (Decon), em apoio à Superintendência de Defesa do Consumidor Estadual (Procon) e Associação Mato-grossense de Oftalmologia (AMO-MT). Nos estabelecimentos foram constatados uso de propaganda enganosa e de exercício ilegal da medicina.

A operação foi deflagrada após o Procon Estadual entrar em contato com a Decon para denunciar o uso irregular de publicidade por uma ótica, que ofertava exames de vista. A prática de indicar uso de lentes de grau, assim como ter em funcionamento aparelhos próprios para o exame dos olhos, cartazes e anúncios com oferecimento de exame da vista é proibida, conforme os artigos 13 e 17 do decreto federal 24.492/34.

Com as informações, os policiais da Decon junto aos fiscais do Procon Estadual e uma médica oftalmologista representante da AMO-MT foram até o estabelecimento Ótica Stylo, no bairro Jardim Imperial, onde verificaram a proprietária levando clientes em seu carro particular até a ótica Lunótica, no centro da cidade, em que eram realizados os exames de vista. Quando estavam com a receita oftalmológica em mãos, os clientes eram trazidos de volta à loja para aquisição de óculos e confecção das lentes no local.

Na ótica Lunótica, os policiais constataram várias propagandas com ofertas de exame de vista, na fachada do estabelecimento, inclusive com os dizeres “Optometristas Graduados”. No interior da loja, as equipes identificaram o consultório em que eram realizados os exames de vista pelo optometrista, prática considerada ilegal, uma vez que é vedado às casas de ótica confeccionar e vender lentes de grau sem prescrição médica.

Segundo o delegado Antônio Carlos Araújo, no início a operação tinha o objetivo de apurar as práticas de venda casada e abuso de propaganda, porém no decorrer da ação também foi identificado o exercício ilegal da medicina praticado pelo optrometrista que também é o proprietário da ótica.

“O optometrista é responsável por fabricar e vender lentes de grau, mediante prescrição médica e não deve realizar exames, diagnosticar doenças oculares ou receitar uso de lentes. O contrário disso é uma ação ilegal que coloca a saúde pública em risco, e que pode acarretar em danos irreversíveis” destacou o delegado.

Três pessoas, responsáveis pela ótica Stylo e Lunótica, prestaram esclarecimentos na Decon e poderão responder pelos artigos 63, 67 e 68 da Lei 8.078, Código de Defesa do Consumidor, que preveem omitir dizeres ou sinais ostensivos sobre a nocividade ou periculosidade de produtos, nas embalagens, nos invólucros, recipientes ou publicidade, além de  induzir usuário a erro por via de indicação ou afirmação falsa ou enganosa, utilizando de qualquer meio, inclusive divulgação publicitária.

O optometrista e proprietário da Ótica Lunótica já possuía procedimento na Decon pela prática ilícita e poderá responder pelo exercício ilegal da medicina, previsto no artigo 282 do Código Penal. 

"As sequelas pelo atendimento por pessoas não capacitadas podem ser permanentes. Os sintomas que poderão ocorrer, vão desde dores de cabeça, vertigem, o que por si só, constituem fatores relevantes para a qualidade de vida destes pacientes que escolhem erroneamente ou são induzidos a erro, em detrimento a um profissional da medicina. Vale mais uma vez lembrar que o optometrista não pode fazer exame de vista e nem receitar conforme a legislação em vigor”, alertou Araújo. 

Fonte: Ass: com Redação

Veja tambem

15/12/2018 | FROTA DA SESP

Policiamento é feito normalmente com 94% das viaturas em atividade

A retenção de 130 veículos, ou seja, 6% da frota, não comprometeu a atuação da polícia em todo o estado

15/12/2018 | FATALIDADE

Acidente em ponte sem sinalização faz acontecer mais quatro mortes em rodovia que liga Cláudia a Marcelândia

O acidente aconteceu próximo da cidade, quando os mesmos voltavam da cidade de Cláudia.

14/12/2018 | SONHO DE CRIANÇA

Policiais Militares fazem surpresa para criança de 6 anos no distrito de Entre Rios

Ações como está tem como objetivo trazer aproximação da comunidade em geral com a Polícia Militar.

14/12/2018 | POLICIA

PM de Sinop apreende mais uma quantidade de entorpecentes

Um dos suspeitos saiu correndo e entrou em uma residência onde estavam os demais acusados.

14/12/2018 | PANÓPTICO INTEGRADA

Força tarefa cumpre 12 ordens de buscas contra membros de organização criminosa

14/12/2018 |

Polícia Civil apreende 350 kg de maconha em rodovia na entrada da Capital

14/12/2018 | POLICIA

PM Feliz Natal apreende arma de brinquedo, droga, três adolescentes e um maior são detidos

Em uma nova apreensão na tarde desta terça-feira (13) os investigadores da DERF apreenderam um homem de 30 anos. Com ele foi apreendido munição de revólver calibre 38, cocaina, pasta base de cocaina, celulares, balança e dinheiro trocado. Os policiais ch

13/12/2018 | TRAFICO DE DROGAS

DERF faz segunda apreensão de drogas em Sinop

Ele estava sendo investigado e ao fazerem a busca na residência a droga foi encontrada.

12/12/2018 | SEM HONRA

Ex-PM em MT é preso com 501 quilos de droga num hotel

De acordo com a ocorrência, na BR-163, próximo à cidade de São Gabriel do Oeste a PRF prendeu quatro pessoas que foram levadas a delegacia.

12/12/2018 | BARRA DO GARÇA

Suspeitos de facção criminosa são detidos com submetralhadora automática

Trata-se de uma arma de guerra capaz de efetuar até 450 tiros com um carregador caracol.

11/12/2018 | ESCONDIDOS EM PROPRIEDADE RUAL

Policiais que haviam invadido fazenda em Nova Ubiratã e fugido para mata se entregam a PM

Além deles, outros três foram presos e dois morreram após confronto com a polícia

11/12/2018 | OPERAÇÃO / GRILLOS

Polícia Civil indicia nove de bando armado que comandava invasões de terras em Jauru

Todos respondem a vários processos criminais por esbulho possessório, porte de arma de fogo, ameaça, dentre outros.