Siga-nos nas redes sociais:

Dai, pois, a César o que é de César.

18/08/2017 - 13:51:12

A corrupção, que se resume no "toma lá, dá cá", está perdendo o seu véu, seja como negociata, seja como acomodação de interesses divergentes, seja como remoção de dificuldades, onde autoridades, políticos e empresários, deixavam de ser partes contrárias e passavam a integrar um consórcio, visando sempre a vantagens para eles e prejuízos para a União, Estado, Distrito e Município, extensivos às pessoas jurídicas com estes relacionadas.

Essa condenável prática, com perplexidade e indignação revelada pela "Operação Lava Jato", autoriza concluir que, lamentavelmente, há "algo de podre também na República Federativa do Brasil".

Um país pode viver com leis más, se seus juízes são bons. A um país não lhe serve de nada as boas leis, se seus juízes são maus.

Antes, todavia, de se valorar as leis é preciso valorar os juízes, que precisam estar preparados, como advertiu Maquiavel, em "O Príncipe", para reconhecer as armadilhas e afugentar os lobos. Esse preparo depende dos seus equilíbrios material e emocional, que, por suas vezes, se relacionam com os recebimentos de seus direitos e de seus justos salários.

É preciso refletir que esses mesmos juízes têm a solução de litígios, envolvendo conflitos de vultosos patrimônios, de consideráveis honras, de respeitáveis famílias e de injustos interesses de organizações criminosas, e, exatamente por isso, não podem andar "de pires na mão".

Um magistrado sem patrimônio e sem o regular atendimento de seus direitos adquiridos e do seu justo salário, que proporcionem a ele e a sua família uma vida funcional, material, moral e social dignas, não estará armado o suficiente para lutar contra o monstro da corrupção, que Tolstoi, em um drama sublime, chamou de "Poder das Trevas".

A magistratura em Mato Grosso não é menos honesta, e nem menos significante que a do Supremo Tribunal Federal, que a do Superior Tribunal de Justiça e que a dos demais tribunais superiores, tanto que, até agora, dela não se assistiu a impunidade de um ou outro que tirou o pé da estrada firme da honestidade.

Por isso os seus 84 (oitenta e quatro) ilustres membros, que receberam, mais ou menos R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais), por direitos acumulados, alguns com 10 (dez) e outros com até 20 (vinte) anos de trabalho, cujos lançamentos estão expostos em painel público, não podem ser confundidos com aqueles que receberam, sem direitos e em malas, R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais), na calada da noite e com subterfúgios dos gangsters.

Perdoando os maledicentes de plantão, o exemplo de transparência dado pelo Poder Judiciário de Mato Grosso merece ser seguido pelos demais.

O povo, para quem é destinado todos os Poderes da República, precisa saber da verdade real, sobretudo o que ganham e como ganham os seus representantes e os agentes políticos, tudo em painel da transparência, para, com segurança, poder dar a César o que é de César.

Zaid Arbid é advogado.

Fonte: Zaid Arbid é advogado

Veja tambem

18/06/2018 | MÁQUINA PÚBLICA

É possível cortar os custos da máquina pública, sim

14/06/2018 | PESQUISA ELEITORAL

Pesquisas eleitorais são ferramentas de diagnóstico que podem levar o candidato a vitória

Daniel Ludwig que é consultor de marketing político e eleitoral da L8 Estúdio explica como

28/05/2018 | DETETIVE PARTICULAR

Atuação do detetive particular em caso criminal

Então como o profissional deve proceder?

26/05/2018 | OPINIÃO / GREVE DOS CAMIONEIROS

Por que é preciso dar todo apoio à greve dos caminhoneiros

“O que está por trás da greve dos caminhoneiros é o desmonte e a privatização da Petrobras, que vem do governo FHC e a que os governos do PT deram continuidade”

20/05/2018 | PREVARICAÇÃO

LIMINAR: Ação de obrigação de fazer (concretização de direito fundamental) pedido de tutela de urgência satistiva contra o município de Sinop

18/05/2018 | VAQUINHA ELEITORAL

Vaquinha eleitoral: Entenda pontos importantes dessa novidade para campanha de 2018, com o consultor de marketing político da L8 Estúdio

17/05/2018 | PROJETO DE LEI

Endurecer a lei contra o crime

O crime organizado está cada vez mais aparelhado e a população exposta a todo tipo de crime.

09/05/2018 | CLAUDIA-MT

Cláudia: Uma nova realidade é possível?

Nestes 30 anos várias gestões executivas se sucederam no comando da administração municipal.

02/05/2018 | INSEGURANÇA

A insegurança jurídica que atrasa o país

30/04/2018 | ARCA DE NOÉ

Arca de Noé... ao contrário

Sem descuidar do bem-estar da imensa população de seres humanos. Uma tarefa digna de um herói como Noé, que salvou a vida de toda a criação – inclusive o homem.

25/04/2018 | ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

O Parlamento tem um problema que não quer resolver

Emite comunicados onde garante a sua elevação ética e permanece em negação face às suas imperfeições procedimentais internas. O parlamento está perigosamente a tornar-se no seu próprio maior inimigo.

12/04/2018 | SEGURANÇA / POLITICA

O Brasil precisa de segurança política

O país mergulhou na sua mais profunda crise econômica.