Siga-nos nas redes sociais:

Brasileiro lidera equipe que investiga ataque químico na Síria

Especialistas revelam como age as cinco classes de armas químicas 16/04/2018 - 07:56:15

É de um brasileiro a responsabilidade de descobrir quais elementos foram usados na suposta arma química lançada pelo governo de Bashar al-Assad contra a cidade de Douma, na Síria, no último dia 7. Diretor de inspeções da Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ), o cientista Marcelo Kós lidera o esquadrão que está na capital síria desde o sábado (14).

"A equipe da FFM (Missão para Encontrar Provas) chegou a Damasco, na Síria, para começar os trabalhos", informou a organização no Twitter. Apontado como causa da morte de dezenas de pessoas e do envenenamento de centenas, o atentado químico é usado como justificativa para o lançamento de 100 mísseis pelos Estados Unidos, França e Inglaterra contra território sírio, na nesta sexta-feira (13).

A operação maciça teve como alvo três instalações — duas a Oeste de Homs e uma na área de Damasco — que estariam relacionadas a um suposto programa de armas químicas sírias. Damasco nega qualquer atentado biológico em Douma. A Rússia também chamou de "montagem" o alegado uso de agentes tóxicos e insiste na investigação da Opaq.

Como agem as armas químicas

Em entrevista ao Fantástico, especialistas explicaram que existem cinco classes de armas químicas. Os neurotóxicos, como os gases Sarin e o ainda mais potente VX, causam pane no sistema nervoso central, provocando dificuldade de respirar, convulsão, salivação excessiva e ataque cardíaco. As armas sufocantes, como o cloro, provocam sensação de sufocamento, ardor nos olhos, boca e nariz, além de acúmulo de líquido no pulmão. Os gases sanguíneos usam cianeto para bloquear a oxigenação nas células e causar a falência do corpo.

As toxicinas, como a Ricina e a Saxitoxina, provocam irritação nos olhos, nariz e garganta, além de edema pulmonar e podem matar. Ao contrário das vesicantes, como o Gás Mostarda, que não é letal, mas atacam a pele, causam dor intensa e podem levar à cegueira. As armas químicas foram proibidas em acordo humanitário internacional, firmado na Convenção de Genebra, e, desde 1997, entrou na jurisdição da Opaq, que investiga e destrói armas em laboratórios de Porton Down, no Sul da Inglaterra.

Fonte: NOTICIAS AO MINUTO

Veja tambem

29/11/2018 | MUNDO BARRA DA TIJUCA

Braço direito de Trump se reúne com Bolsonaro no Rio

Jair Bolsonaro, bateu continência para o assessor de Segurança Nacional dos EUA

19/11/2018 | MUNDO TRAFICANTE

Marcelo Piloto é extraditado do Paraguai para o Brasil

Segundo a imprensa do Paraguai, ele deixou o país em uma aeronave do Grupo Aerotático da Força Aérea Paraguaia às 5h05

17/11/2018 | MUNDO REDES SOCIAIS

Conselho de Segurança americano elogia Bolsonaro sobre médicos cubanos

Órgão usou o Twitter para se pronunciar sobre o assunto

30/10/2018 | MUNDO ALIADOS

Primeiro-ministro de Israel planeja comparecer à posse de Bolsonaro

Se comparecer, Netanyahu será o primeiro premiê israelense a visitar o Brasil desde a criação do país, em 1948

28/10/2018 | MUNDO PLEITO

Votação no exterior é encerrada em 16 países

De acordo com o TSE, o balanço se refere aos locais de votação, em geral as próprias embaixadas do Brasil, que estão à frente no fuso horário

27/10/2018 | INTERNACIONAL

Chanceler saudita vê histeria internacional após morte de jornalista

"A questão tornou-se histérica. As pessoas estão culpando a Arábia Saudita antes de se completar a investigação",

20/10/2018 | MUNDO MIGRAÇÃO

Canadá emite recorde de vistos de residência para brasileiros

No ano passado, foram liberados 2.760 vistos, um aumento de 62% sobre o ano anterior

08/10/2018 | MUNDO ELEIÇÕES NO BRASIL

Imprensa internacional repercute vantagem de Bolsonaro

Os jornais The New York Times, Financial Times e El País e a rede de televisão britânica BBC emitiram alertas em seus aplicativos em todo o mundo após a confirmação do segundo turno

30/09/2018 | MUNDO

Passa de 800 o número de mortos na Indonésia devastada por terremoto e tsunami

Ainda não se sabe a extensão exata da tragédia, porque há áreas isoladas. Estima-se que 350 mil pessoas tenham sido afetadas.

25/09/2018 | MUNDO ASSEMBLEIA

Em discurso na ONU, Temer critica unilateralismo e intolerância

O debate geral deste ano tem como tema central Tornar a ONU Relevante para Todas as Pessoas: Liderança Mundial e Responsabilidades Partilhadas para Sociedades Pacíficas, Equitativas e Sustentáveis

17/08/2018 | MUNDO ITÁLIA

Motorista que ficou ‘à beira da morte’ em Gênova fala em ‘milagre’

Homem que ficou a poucos metros do abismo provocado pela queda da ponte ainda estará se recupera do choque

12/08/2018 | MUNDO TRAVESSIA

Trump e taxa de R$ 77 mil não inibem imigrantes brasileiros

A procura continua a mesma, inclusive por parte de famílias com filhos pequenos