Siga-nos nas redes sociais:

Brasileiro lidera equipe que investiga ataque químico na Síria

Especialistas revelam como age as cinco classes de armas químicas 16/04/2018 - 07:56:15

É de um brasileiro a responsabilidade de descobrir quais elementos foram usados na suposta arma química lançada pelo governo de Bashar al-Assad contra a cidade de Douma, na Síria, no último dia 7. Diretor de inspeções da Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ), o cientista Marcelo Kós lidera o esquadrão que está na capital síria desde o sábado (14).

"A equipe da FFM (Missão para Encontrar Provas) chegou a Damasco, na Síria, para começar os trabalhos", informou a organização no Twitter. Apontado como causa da morte de dezenas de pessoas e do envenenamento de centenas, o atentado químico é usado como justificativa para o lançamento de 100 mísseis pelos Estados Unidos, França e Inglaterra contra território sírio, na nesta sexta-feira (13).

A operação maciça teve como alvo três instalações — duas a Oeste de Homs e uma na área de Damasco — que estariam relacionadas a um suposto programa de armas químicas sírias. Damasco nega qualquer atentado biológico em Douma. A Rússia também chamou de "montagem" o alegado uso de agentes tóxicos e insiste na investigação da Opaq.

Como agem as armas químicas

Em entrevista ao Fantástico, especialistas explicaram que existem cinco classes de armas químicas. Os neurotóxicos, como os gases Sarin e o ainda mais potente VX, causam pane no sistema nervoso central, provocando dificuldade de respirar, convulsão, salivação excessiva e ataque cardíaco. As armas sufocantes, como o cloro, provocam sensação de sufocamento, ardor nos olhos, boca e nariz, além de acúmulo de líquido no pulmão. Os gases sanguíneos usam cianeto para bloquear a oxigenação nas células e causar a falência do corpo.

As toxicinas, como a Ricina e a Saxitoxina, provocam irritação nos olhos, nariz e garganta, além de edema pulmonar e podem matar. Ao contrário das vesicantes, como o Gás Mostarda, que não é letal, mas atacam a pele, causam dor intensa e podem levar à cegueira. As armas químicas foram proibidas em acordo humanitário internacional, firmado na Convenção de Genebra, e, desde 1997, entrou na jurisdição da Opaq, que investiga e destrói armas em laboratórios de Porton Down, no Sul da Inglaterra.

Fonte: NOTICIAS AO MINUTO

Veja tambem

03/03/2019 | MUNDO VATICANO

Papa diz que políticos sem sabedoria prejudicam a sociedade

Francisco ainda pediu para os fiés não fazerem fofocas

03/03/2019 | CRISE VENEZUELANA RÚSSIA EUA

Rússia propõe aos Estados Unidos dialogar sobre a crise venezuelana

Rússia propõe aos Estados Unidos dialogar sobre a crise venezuelana

24/02/2019 | MUNDO APÓS CONFRONTOS

Divisa entre Brasil e Venezuela está mais tranquila neste domingo

Fluxo de imigrantes voltou à divisa, apesar do fechamento da fronteira

10/02/2019 | MUNDO

Coronel do Exército venezuelano rompe com Maduro e pede ajuda humanitária

Ajuda humanitária cruzará fronteira de Venezuela com Brasil, promete povo indígena Pemon

09/02/2019 | MUNDO VENEZUELA

Governo venezuelano reforça presença militar na fronteira com o Brasil

Objetivo de Maduro é evitar entrada de ajuda humanitária enviada pelos EUA

02/02/2019 | MUNDO LEVANTAMENTO

Mineração causou três vazamentos por ano no mundo desde 2009

Eles deixaram um rastro de, no mínimo, 93,77 milhões de m³ de rejeitos e substâncias tóxicas, segundo levantamento da Wise Uranium Project

29/01/2019 | MUNDO AJUDA INTERNACIONAL

União Europeia oferece assistência humanitária e técnica a Brumadinho

Há quatro dias, a àrea foi soterrada por um mar de lama

25/01/2019 | MICOLÁS MADURO, ANISTIA

Juan Guaidó sugere anistia a Maduro para restaurar “ordem democrática”

As declarações foram feitas à emissora de TV norte-americana Univision.

24/01/2019 | MUNDO CENÁRIO POLÍTICO

Entenda o que está acontecendo na Venezuela

O país enfrenta grave escassez de medicamentos e alimentos; 2,3 milhões de pessoas já fugiram do país

23/01/2019 | JUAN GUAIDÓ VENEZUELA JAIR BOLSONARO IVÁN DUQUE

Bolsonaro, Duque e vice-presidente do Peru reiteram apoio a Guaidó

Ministra das Relações Exteriores do Canadá também estava presente

17/01/2019 | MUNDO ITAMARATY

Brasil recebe opositores de Maduro e articula transição na Venezuela

Líderes políticos se reúnem com ministro das Relações Exteriores do governo Bolsonaro nesta quinta-feira (17)

15/01/2019 | MUNDO DISCURSO

Presidente dos EUA fala sobre Bolsonaro: 'É o Trump da América do Sul'

Chefe de Estado norte-americano ainda disse que líder político brasileiro estava feliz com a comparação