Siga-nos nas redes sociais:

Superministério da Economia de Bolsonaro vai enfrentar desafios para ser posto de pé

O superministério da Economia vai enfrentar desafios para virar realidade e de fato entregar ganhos de eficiência 02/11/2018 - 08:33:50

O superministério da Economia vai enfrentar desafios para virar realidade e de fato entregar ganhos de eficiência, afirmou uma fonte com trânsito e trabalho de anos nas pastas que passarão por fusão, apontando que será necessário uma boa dose de energia para unificá-las, o que ameaça consumir um tempo que poderia ser melhor investido nas propostas para a economia.

Nesta terça-feira, o futuro ministro da Casa Civil do governo de Jair Bolsonaro (PSL), Onyx Lorenzoni (DEM-RS), afirmou que os Ministérios da Fazenda, do Planejamento e da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) serão unidos no ano que vem. A proposta já constava no programa de Bolsonaro, mas após receber representantes da indústria recentemente o presidente eleito afirmou estar aberto a deixar o MDIC de fora do plano.

“Vai dar uma dor de cabeça para fazer porque são carreiras diferentes, são processos diferentes, são TIs diferentes. Há uma série de processos que têm rotinas diferenciadas, então você vai gastar uma energia enorme com isso e aí aquelas pautas que são fundamentais para a economia podem se perder nesse processo”, disse a fonte, que falou em condição de anonimato.

Num exercício teórico, essa fonte projetou que a fusão implicará uma redistribuição de mais de 38 unidades de trabalho —entre secretarias, órgãos, institutos, escolas e assessorias — sob uma única aba.

Hoje, são 12 sob a Fazenda, 17 sob o Planejamento e 9 sob o MDIC.

Uma ideia para diminuir a demanda em relação ao ministro, que será instado a receber inúmeros parlamentares para tratar dos mais diversos assuntos, é criar duas secretarias-executivas, uma para a área econômica e outra para a área de gestão, disse a fonte.

Na área econômica, estimou que uma só Secretaria de Assuntos Econômicos, por exemplo, poderia reunir sete secretarias que hoje estão distribuídas nos três ministérios: de Política Econômica, de Acompanhamento Fiscal, Energia e Loteria e de Promoção da Produtividade e Advocacia da Concorrência, na Fazenda; de Planejamento e Assuntos Econômicos e o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), hoje no Planejamento; e de Desenvolvimento e Competitividade Industrial e de Comércio e Serviços, pertencentes ao MDIC.

Apesar das possibilidades de sinergia, a fonte lembrou que a fusão vai ter baixíssimo impacto em termos de economia fiscal e também trará complicações logísticas.

“O cara está lá no bloco P e vai ter que gerir pessoas que estão no bloco J. Isso também tem que ser visto”, disse, sobre a configuração da Esplanada, com um edifício diferente para cada um dos ministérios hoje.

A fusão repete fórmula usada pela última vez pelo ex-presidente Fernando Collor de Mello, em 1990, mas apesar de suscitar lembranças de uma política econômica que deu errado, é também vista com simpatia por parte do atual quadro do governo. [nL2N1X2107]

Parte do time à frente da economia avalia que colocar principalmente a Secretaria de Orçamento Federal, hoje integrante do Planejamento, sob a Fazenda alinharia a programação orçamentária à financeira, nos moldes do que já é feito em boa parte do mundo.

Levantamento da Organização para a Cooperação Econômica e Desenvolvimento (OCDE) de 2014 mostra que dentre 32 países que integram o grupo somente quatro não têm o Ministério da Fazenda como único responsável pelo Orçamento.

Fonte: Portal do Agronegócio

Veja tambem

16/04/2019 | MPOSTO DE RENDA, RECEITA FEDERAL

A duas semanas do fim do prazo, 46,8% declararam Imposto de Renda

Fisco espera 30,5 milhões de formulários neste ano

15/04/2019 | IGP-10n INFLAÇÃO, FGV, PESQUISA

Inflação pelo IGP-10 cai de 1,4% em março para 1% em abril

Índice acumula 8,46% em 12 meses, diz FGV

14/04/2019 | DIA MUNDIAL DO CAFÉ

Dia Mundial do Café homenageia bebida mais popular para o brasileiro

Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic), o consumo médio anual por pessoa é de seis kg de café cru e 4,8 kg de café torrado e moído.

12/04/2019 | APOSENTADORIA RURAL IPEA

Ipea: número de aposentadorias rurais é maior que população declarada

Estudo comparou dados de trabalhadores urbanos e do campo

11/04/2019 | PETROBRAS URÂNIO MONOPÓLIO DO GÁS

Governo vai rever monopólio da Petrobras no setor de gás, diz ministro

11/04/2019 | MERCADO FINANCEIRO

Bancos mantêm trajetória de aumento da rentabilidade, diz BC

A avaliação é do Banco Central (BC), no Relatório de Estabilidade Financeira, publicação semestral que descreve a evolução do Sistema Financeiro Nacional.

11/04/2019 | MINISTÉRIO DA INFRAESTRUTURA

Ministro comemora 23 leilões nos primeiros 100 dias do governo

10/04/2019 | PAULO GUEDES, GÁS DE COZINHA

Governo quer reduzir pela metade o preço do gás de cozinha, diz Guedes

De acordo com o ministro, para conseguir essa redução, é preciso quebrar o monopólio do refino e da distribuição.

07/04/2019 | ESOCIAL

Empresa do Simples tem até terça para inscrever empregados no eSocial

Mais de 23 milhões de trabalhadores já estão cadastrados

06/04/2019 | AMBIENTE DE NEGÓCIOS, DOING BUSINESS

Governo quer reduzir tempo de abertura e fechamento de empresas

Objetivo é deixar o país com melhor ambiente de negócios

05/04/2019 | GOVERNO

Delegação americana visita frigoríficos de MS em junho, diz ministra

As inspeções nas unidades brasileiras devem ocorrer entre os dias 10 a 28 de junho, conforme a ministra Tereza Cristina, titular do Mapa

03/04/2019 | TRABALHO ESCRAVO

Atualização da lista suja do trabalho escravo tem 187 empregadores

Na lista constam empregadores que foram adicionados na relação entre 2017 e 2019.