Siga-nos nas redes sociais:

'Retomada é a mais lenta que o Brasil já teve', diz ex-presidente do BC

ma aceleração do crescimento, segundo ele, vai ocorrer apenas se a agenda econômica abranger mais do que a questão previdenciária 02/03/2018 - 07:59:40

Para o ex-presidente do Banco Central Affonso Celso Pastore, os números do Produto Interno Bruto (PIB) de 2017 reforçam que o Brasil está numa trajetória de recuperação extremamente lenta. Na avaliação do economista, o resultado não trouxe surpresa. Uma aceleração do crescimento, segundo ele, vai ocorrer apenas se a agenda econômica abranger mais do que a questão previdenciária. A seguir, os principais trechos da entrevista.

Como o sr. avalia o crescimento de 1% no ano passado?

O resultado está dentro do que se esperava, mas no fundo quem projetava um crescimento de 3,5%, 3,8% para este ano vai ter uma frustração. Eu acho inatingível um crescimento de mais do que 3%. Se der um pouco menos do que 3%, também é possível. Eu espero 3%. Estamos numa trajetória de recuperação extremamente lenta. Em todas as outras recessões, houve uma recuperação relativamente rápida. Essa recessão deixou uma carga pesada.

Por que a recuperação tem sido lenta?

Está andando devagar porque o Brasil precisa fazer muito ajuste, precisa de muita reforma. Tem de ir além da reforma da Previdência. Tem de tocar a agenda de reformas microeconômicas, melhorar a eficiência e a produtividade. Tem de colocar a economia de pé de novo. Nós estamos nos recuperando, não tem nada de misterioso. Não foi frustrante esse resultado. Eu só enfatizo que é uma recuperação muito lenta em relação a qualquer outra recuperação que o Brasil já teve.

A reforma da Previdência não deve ser aprovada neste governo. Quais são, então, as consequências para a economia?

O Brasil precisa de uma reforma da Previdência. Sem ela, a equação fiscal não fecha. O próximo governo vai ter de pegar esse peão na unha e vai ter de encontrar uma forma política de fazer uma reforma bem feita.

No mercado há uma confiança de que a agenda reformista vai seguir no próximo governo. O sr. acredita nisso?

O CDS (Credit Default Swap, espécie de seguro contra o risco de calote) brasileiro está escolhendo, mas o de todos os países está encolhendo. O câmbio no Brasil valorizou, mas o câmbio de todos os países da América Latina também valorizou. Esse movimento reflete um mercado internacional extremamente favorável. Não é um voto de confiança no Brasil. É pura e simplesmente uma leniência dos investidores externos que estão sequiosos de obter retornos em países emergentes porque não estão conseguindo retornos nos países desenvolvidos.

É possível prever quando esse ciclo vai acabar?

O PIB potencial dos Estados Unidos está crescendo 2% ao ano e o PIB de fato está avançando a 3%. O hiato do PIB, que era negativo lá atrás, no período da recessão, é positivo hoje. Os EUA aceleraram o crescimento econômico. O presidente Donald Trump fez aprovar no Congresso uma lei que reduz o imposto para empresas. Isso estimula um crescimento mais rápido e já há um estímulo monetário que está gerando um crescimento acima do potencial. Com o estímulo fiscal, todo esse negócio deve aparecer lentamente na inflação.

Os juros podem subir mais rápido nos EUA, então?

Há alguns meses o mercado olhava e dizia que, talvez, o Fed (Federal Reserve, banco central norte-americano) suba duas vezes o juro em 25 (pontos-base), agora são três ou quatro altas de 25. Quando for olhar lá na frente, daqui a pouco, vai aparecer uma quinta de 25 pontos. A tendência nos Estados Unidos é de ir lentamente para juros mais altos. Esse negócio vai mudando o quadro. Isso é muito bom porque o mundo está crescendo mais depressa, mas tem o efeito de subida de juros lá dentro que muda um pouco esse quadro de leniência dos investidores externos com relação a ativos de países emergentes.

O impacto para a economia brasileira vai depender se a agenda de reformas for adiante?

Se for eleito um presidente que continue essa agenda de reformas, com uma equipe econômica boa, com o mesmo Banco Central, com gente desse tipo, eu acho que o problema externo é superado. Agora, se não tiver agenda de reformas, o risco percebido é mais alto.

Fonte: Notícias ao Minuto

Veja tambem

21/06/2018 | ECONOMIA CAIXA FEDERAL

Saiba como consultar seu saldo do PIS sem sair de casa

Você só vai precisar do número do CPF, ou do NIS, e da sua senha digital no site da Caixa Federal

21/06/2018 | SELIC

Copom se reúne nesta quarta para definir taxa de juros; mercado prevê manutenção da Selic em 6,5%

Taxa atual é a menor da serie histórica e foi mantida em maio pelo Comitê de Política Monetária. Resultado será conhecido depois das 18h desta quarta-feira (19)

20/06/2018 | DÓLAR BANCO CENTRAL

BC interrompe venda de dólares pela primeira vez em um mês

Desde a retomada dos leilões de swap, em meados de maio, o BC injetou US$ 39,6 bilhões a mais do que retirou do mercado financeiro.

17/06/2018 | MERCADO FINANCEIRO

Com perdas de US$ 30 bi, indústria quer combater barreiras comerciais

CNI vai entregar sugestões sobre o tema a candidatos à Presidência

16/06/2018 | IMPORTAÇÃO

Importadoras alertam ANP que programa para diesel pode inviabilizar compras externas

Importadoras de combustíveis alertaram a agência reguladora do setor no Brasil (ANP) que o programa do governo de subsídios ao diesel, fruto de negociações para encerrar a gigantesca greve dos caminhoneiros, poderá inviabilizar compras externas do combust

16/06/2018 | ECONOMIA / MERCADO

Petrobras: produção média de petróleo cai 1,2% em maio

Desse total, 2,57 milhões boed foram produzidos no Brasil e 96 mil boed no exterior.

14/06/2018 | PIS/PASEP

Caixa e BB divulgam calendário de saques do PIS/Pasep

O pagamento das cotas deve injetar R$ 39,5 bilhões na economia, com impacto potencial no Produto Interno Bruto (PIB) na ordem de 0,55 ponto percentual.

12/06/2018 | MERCADO FINANCEIRO

Dólar opera em queda, abaixo de R$ 3,70, de olho no BC e nos EUA

Na véspera, moeda norte-americana subiu 0,45%, a R$ 3,7242 na venda

11/06/2018 | ECONOMIA LEVANTAMENTO

Datafolha: 72% dos brasileiros avaliam que economia do país piorou

Somente 6% dos 2.824 entrevistados disseram que o quadro econômico progrediu

10/06/2018 | MEGA-SENA

Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 14 milhões na 4ª feira

As informações são do site da Caixa Econômica Federal.

09/06/2018 | CARTA FRETE

Caminhoneiros e ANTT voltam a discutir preços de fretes na segunda

Categoria se reunirá no fim de semana para debater ajustes na tabela

08/06/2018 | PRIMEIRO LOTE CONSULTA

Receita libera consulta a primeiro lote de restituição do IR 2018

O lote contempla também restituições residuais dos exercícios de 2008 a 2017, informou a Receita Federal.