Siga-nos nas redes sociais:

Petróleo em queda em meio a sinais de aumento da produção de xisto

Às 8h54, o barril do tipo Brent com vencimento em maio caía 0,22%, a US$ 64,81, enquanto o WTI para abril recuava 0,15%, a US$ 61,27 13/03/2018 - 08:10:34

Os contratos futuros de petróleo operam em queda nesta terça-feira, em meio a novos sinais de que o aumento da produção de xisto parece limitar os preços.

Às 8h54, o barril do tipo Brent com vencimento em maio caía 0,22%, a US$ 64,81, enquanto o WTI para abril recuava 0,15%, a US$ 61,27.

De acordo com um relatório da Administração de Informação de Energia (EIA, na sigla em inglês), braço de análise do Departamento de Energia dos EUA (DoE, na sigla em inglês), a extração de xisto deve subir 131 mil barris por dia em abril, para um recorde de 6,95 milhões de barris diários.

Veja também: Meirelles diz que juros podem cair mais

"O rápido crescimento da produção de xisto está tornando virtualmente impossível para os preços subirem", de acordo com analistas do Commerzbank.

A EIA também aumentou a estimativa de produção de petróleo, dizendo esperar que o total aumente em 1,4 milhão de barris por dia em 2018. A produção total deve ficar numa média de 10,7 milhões de barris por dia neste ano, acima da previsão anterior de 10,6 milhões.

"O mercado de petróleo está cada vez mais com excesso de oferta", disse Tamas Varga, analista na PVM Oil Associates. "Parece que os investidores estão se desfazendo das suas posições longas e esse é o motivo pelo qual os dois contratos principais estão operando em queda recentemente."

Novos indícios de aumento da produção americana surgem conforme a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) se divide em relação a qual deveria ser o preço do barril. A Arábia Saudita, líder do cartel, quer o valor a US$ 70 ou mais, enquanto o Irã prefere os preços mais perto de US$ 60. A divergência acontece devido a visões diferentes sobre se um barril a US$ 70 faria as companhias de xisto nos EUA entrarem num frenesi de produção que poderia derrubar os preços.

Os investidores de petróleo aguardam, para esta semana, os relatórios mensais da OPEP e da Agência Internacional de Energia (AIE), além dos dados semanais dos estoques nos EUA, medidos pelo American Petroleum Institute (API, uma associação de refinarias) e pelo DoE. 

Fonte: Dow Jones Newswires e Estadão Conteúdo.

Veja tambem

17/10/2018 | IBOVESPA BOLSA DE VALORES

Bolsa de Valores de SP fecha com leve alta, apesar de Eletrobras

O indicador encerrou hoje (17) com alta de 0,05%, aos 85.764 pontos.

17/10/2018 | EXPORTAÇÃO

Exportações do agronegócio atingem US$ 8 bilhões em setembro

Em setembro, as exportações brasileiras do agronegócio somaram US$ 8,17 bilhões,

16/10/2018 | BRASIL

Mercado eleva estimativa de inflação para 2018 e para 2019

Expectativa de inflação para este ano passou de 4,40% para 4,43%. Previsão de alta do PIB de 2018 permaneceu em 1,34%. Pesquisa foi divulgada pelo BC nesta segunda (15)

15/10/2018 | ECONOMIA PEDIDOS

Aposentadoria automática por idade no INSS já chega a 17,3% do total

Há cinco meses, quem pede a aposentadoria por idade não precisa mais ir até uma agência do Instituto Nacional do Seguro Social

12/10/2018 | BRASIL

Comércio internacional: Em setembro, vendas externas do setor somam mais de US$ 8 bilhões

O saldo no setor foi superavitário em US$ 7,1 bilhões

11/10/2018 | INFLAÇÃO DA TERCEIRA IDADE PESQUISA FGV

Inflação da terceira idade é de 0,69% no terceiro trimestre

A principal contribuição para a queda da taxa do segundo para o terceiro trimestre deste ano partiu do grupo alimentação, que passou de 2,50% para -1,57%.

10/10/2018 | ECONOMIA ARGENTINA

Economia argentina voltará a crescer em 2019, diz ministro

09/10/2018 | ECONOMIA MERCADO

Dólar fecha perto dos R$ 3,70 após três pregões de queda

Moeda americana recuou 1,46%

09/10/2018 | ECONOMIA

Ibovespa futuro sobe quase 5% após desempenho forte de Bolsonaro em 1º turno da eleição

Por volta das 09:15, o contrato do Ibovespa que vence no próximo dia 17 subia 4,86 por cento, a 86.825 pontos

07/10/2018 | ECONOMIA PROJEÇÃO

País pode acelerar crescimento em 2019 se começar ajuste no 1º semestre

Com juro e inflação baixos, mão de obra disponível e capacidade ociosa, há chance de que o País cresça além de seu potencial médio

06/10/2018 | ECONOMIA NEGÓCIOS

Petrobras volta a vender gasolina mais barata que exterior

Setembro teve maior período de estabilidade desde que a estatal autorizou reajustes diários

06/10/2018 | CRÉDITO RURAL

Crédito rural com taxa pós-fixada é tendência no médio prazo, diz DLL

Com melhorias gradativas na economia brasileira, as linhas com juros pós-fixados devem se tornar mais atrativas para os produtores