Siga-nos nas redes sociais:

Ibovespa futuro sobe quase 5% após desempenho forte de Bolsonaro em 1º turno da eleição

Por volta das 09:15, o contrato do Ibovespa que vence no próximo dia 17 subia 4,86 por cento, a 86.825 pontos 09/10/2018 - 06:20:43

O contrato futuro do Ibovespa para outubro disparava quase 5 por cento nos primeiros negócios desta segunda-feira, sinalizando uma abertura positiva para o índice à vista, após o primeiro turno da eleição presidencial, após o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, conquistar votação expressiva, embora não o suficiente para evitar um segundo turno contra Fernando Haddad.

Por volta das 09:15, o contrato do Ibovespa que vence no próximo dia 17 subia 4,86 por cento, a 86.825 pontos.

Com 99,95 por cento das seções eleitorais apuradas, Bolsonaro tem 46,04 por cento dos votos válidos, ou 49,2 milhões de votos, enquanto Haddad ficou com 29,26 por cento, o equivalente a 31,3 milhões de votos.

Na visão do gestor Igor Lima, da Galt Capital, o resultado mostrou força de Bolsonaro, "que indica um caminho razoavelmente fácil para se eleger no segundo turno", previsto para o próximo dia 28 de outubro.

"A composição do Congresso com um perfil muito mais à direita também traz uma expectativa positiva razoável nas chances futuras de aprovação de reformas", destacou, citando que o PSL se tornou o partido com a segunda maior bancada na Câmara dos Deputados, o que ajuda muito na construção da base parlamentar do novo governo.

O PSL deve ficar com 51 cadeiras na Câmara dos Deputados, de 513 assentos, de acordo com projeção da XP Investimentos, ficando atrás apenas do PT, de Haddad, que deve ter 57 vagas.

Fonte: Ag Brasil

Veja tambem

19/12/2018 | PIB FGV AGROPECUÁRIA CONSTRUÇÃO

PIB cresce 1,2% no trimestre encerrado em outubro, diz FGV

Crescimento do comércio contribuiu para a expansão do Produto Interno Bruto

18/12/2018 | MERCADO FINANCEIRO

Desafios do comércio exterior

O Brasil precisa aumentar seu protagonismo na conjuntura mundial

17/12/2018 | INFLAÇÃO, SELIC, JUROS

Mercado mantém estimativa de inflação em 3,71% este ano

Para 2019, a projeção também não foi alterada em relação à semana passada: 4,07%.

15/12/2018 | FRIGORÍFICOS E ABATEDOUROS

Abate de frangos cai 3,8% no 3º trimestre ante 3º tri de 2017, diz IBGE

Segundo o órgão, agosto teve o segundo maior volume de cabeças abatidas, atrás apenas de janeiro

15/12/2018 | VENDA DIRETA

Fazenda defende venda direta de etanol do produtor para os postos

Ontem (13), um grupo de trabalho da ANP concluiu não haver impedimento regulatório para a venda direta de etanol.

14/12/2018 | ECONOMIA

Mudanças tributárias podem render R$ 52,6 bi em três anos

Em seu cenário fiscal básico para os próximos anos, o Ministério da Fazenda considerou ser possível arrecadar, com novas mudanças na tributação, R$ 16,4 bilhões em 2020, R$ 17,5 bilhões em 2021, R$ 18,7 bilhões em 2022 – um total de R$ 52,6 bilhões em trê

13/12/2018 | ABONO SALARIAL, PIS, PAGAMENTO, SEXTO LOTE

Começa hoje pagamento do sexto lote do Abono Salarial PIS de 2017

Benefício será concedido a 1,7 milhão de trabalhadores

11/12/2018 | COPOM REUNIÃO SELIC BC BANCO CENTRAL

Começa hoje reunião do Copom; expectativa é de manutenção da Selic

De outubro de 2012 a abril de 2013, a taxa foi mantida em 7,25% ao ano e passou a ser reajustada gradualmente até alcançar 14,25% em julho de 2015.

10/12/2018 | MERCADO FINANCEIRO, COTAÇÃO DO DÓLAR

Dólar tem quinta alta consecutiva e fecha o dia cotado a R$ 3,92

Índice B3 da Bovespa começa semana em baixa de 2,5%

09/12/2018 | ROYALTIES, PETRÓLEO

Queda do petróleo afetará pouco contas federais, diz especialista

Redução do preço internacional diminui pagamento de royalties

09/12/2018 | ECONOMIA APOSENTADORIA

INSS divulga datas para pagamento de benefícios

Novo calendário segue a sequência de anos anteriores, que antecipa em cinco dias úteis o início dos créditos para parte dos segurados com renda mensal de até um salário mínimo

09/12/2018 | SELIC BANCO CENTRAL

Copom realiza última reunião do ano, com expectativa de manter Selic

A expectativa de instituições financeiras é da taxa permanecer em 6,5%