Siga-nos nas redes sociais:

Governo libera mais R$ 1,2 bilhão para gastos sociais de prefeituras

Repasse da assistência social em 2017 para os municípios brasileiros alcançou o patamar mais alto da série histórica iniciada em 2011, diz ministro 23/12/2017 - 10:43:27

O governo federal liberou R$ 2,8 bilhões para todas as prefeituras brasileiras neste ano para o custeio de atividades na área de assistência social, como o financiamento das unidades de acolhimento. Só nesta semana, depois da liberação de recursos que estavam bloqueados no Orçamento, foram repassados R$ 1,2 bilhão.

Segundo o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, o repasse da assistência social em 2017 para os municípios brasileiros alcançou o patamar mais alto da série histórica iniciada em 2011. "Conseguimos zerar os passivos deixados pela gestão anterior. Vamos entrar 2018 com as contas em dia."

Mas, para o presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski, a grande preocupação é em relação ao corte que foi feito no orçamento de 2018 para essa área. "Estamos extremamente preocupados. O corte é muito grande. O grande penalizado é o cidadão porque o governo vai cortar áreas numa área muito sensível", afirmou.

Ele disse que se encontrou com o ministro Terra e o presidente Michel Temer para alertá-los sobre esse "grande drama". "A prefeitura é um executor dos programas do governo federal. No momento de cortes, os cidadãos que precisam desses recursos não procuram a União ou o Estado, ele vai atrás da prefeitura", afirma.

Os recursos repassados aos municípios esta semana não compõem as negociações paralelas que o Planalto fez com os prefeitos para a aprovação da reforma da Previdência. O presidente Temer prometeu, no meio dessas negociações, ampliar os investimentos nos municípios em R$ 3 bilhões para o 2018, além de um auxílio financeiro de R$ 2 bilhões ainda em 2017.

Receita

Entre novembro e dezembro, a equipe econômica fez dois desbloqueios de despesas do Orçamento, um de R$ 7,5 bilhões e outro de R$ 5 bilhões, anunciado na última quarta-feira. As verbas para a assistência social não são gastos obrigatórios, ou seja, o governo dependia de uma melhora da arrecadação para liberar os recursos.

Há um ano e meio, informou Terra, a União tinha uma dívida de R$ 1,3 bilhão relativo a oito meses de pagamentos que não foram feitos entre 2015 e 2016, durante o governo Dilma.

Segundo o secretário executivo do ministério, Alberto Beltrame, por conta dos atrasos, as prefeituras tiveram dificuldades para manter a prestação dos serviços em dia. Agora, disse, vão começar 2018 - ano de campanha eleitoral - numa situação muito melhor para a prestação de serviços na área social.

"Para o prefeito, mais importante que o orçamento é manter o fluxo de caixa", disse. Pelos cálculos do secretário, os chamados "restos a pagar" (despesas transferidas de um ano para o outro) devem ficar em torno de R$ 100 milhões.

Os recursos são basicamente usados em serviços como as unidades de acolhimento, que funcionam como moradia provisória para indivíduos e famílias afastadas temporariamente do seu núcleo e se encontram em situação de abandono ou ameaça. Também vão para os Centros de Referência de Assistência Social (Cras), uma espécie de porta de entrada da assistência social, e para os Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas), que oferecem serviços para pessoas com deficiência, idosos e suas famílias e indivíduos em situação de risco. 

Fonte: NOTICIAS AO MINUTO

Veja tambem

17/06/2018 | MERCADO FINANCEIRO

Com perdas de US$ 30 bi, indústria quer combater barreiras comerciais

CNI vai entregar sugestões sobre o tema a candidatos à Presidência

16/06/2018 | IMPORTAÇÃO

Importadoras alertam ANP que programa para diesel pode inviabilizar compras externas

Importadoras de combustíveis alertaram a agência reguladora do setor no Brasil (ANP) que o programa do governo de subsídios ao diesel, fruto de negociações para encerrar a gigantesca greve dos caminhoneiros, poderá inviabilizar compras externas do combust

16/06/2018 | ECONOMIA / MERCADO

Petrobras: produção média de petróleo cai 1,2% em maio

Desse total, 2,57 milhões boed foram produzidos no Brasil e 96 mil boed no exterior.

14/06/2018 | PIS/PASEP

Caixa e BB divulgam calendário de saques do PIS/Pasep

O pagamento das cotas deve injetar R$ 39,5 bilhões na economia, com impacto potencial no Produto Interno Bruto (PIB) na ordem de 0,55 ponto percentual.

12/06/2018 | MERCADO FINANCEIRO

Dólar opera em queda, abaixo de R$ 3,70, de olho no BC e nos EUA

Na véspera, moeda norte-americana subiu 0,45%, a R$ 3,7242 na venda

11/06/2018 | ECONOMIA LEVANTAMENTO

Datafolha: 72% dos brasileiros avaliam que economia do país piorou

Somente 6% dos 2.824 entrevistados disseram que o quadro econômico progrediu

10/06/2018 | MEGA-SENA

Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 14 milhões na 4ª feira

As informações são do site da Caixa Econômica Federal.

09/06/2018 | CARTA FRETE

Caminhoneiros e ANTT voltam a discutir preços de fretes na segunda

Categoria se reunirá no fim de semana para debater ajustes na tabela

08/06/2018 | PRIMEIRO LOTE CONSULTA

Receita libera consulta a primeiro lote de restituição do IR 2018

O lote contempla também restituições residuais dos exercícios de 2008 a 2017, informou a Receita Federal.

07/06/2018 | ECONOMIA / MERCADO

ANP não vai interferir na formação de preços de combustíveis

A formação de preços no Brasil é e continuará sendo livre.

06/06/2018 | ECONOMIA PREÇOS

Conta de energia deve subir 25,7% em um ano, aponta pesquisa

Dois aspectos principais: a adoção da bandeira vermelha patamar 2 pelo governo federal e os reajustes anuais das concessionárias de energias nos diversos estados

05/06/2018 | ECONOMIA / PETROBRAS

Conselho da Petrobras elege Ivan Monteiro para presidir empresa

Mandato vai até 26 de março de 2019, mesmo prazo dos demais diretores