Siga-nos nas redes sociais:

Crédito rural com taxa pós-fixada é tendência no médio prazo, diz DLL

Com melhorias gradativas na economia brasileira, as linhas com juros pós-fixados devem se tornar mais atrativas para os produtores 06/10/2018 - 09:04:28

O uso de recursos livres para financiar investimentos no agronegócio é uma tendência gradativa do sistema financeiro no Brasil e bancos têm revisto suas linhas para atender produtores rurais, segundo o diretor executivo do Banco DLL, Anderson Lazaron. O DLL representa diversos fabricantes de máquinas agrícolas no Brasil. O executivo argumenta que, com "melhorias gradativas na economia brasileira", as linhas com juros pós-fixados devem se tornar mais atrativas para os produtores.

No curto prazo, porém, a demanda por modalidades de crédito pós-fixadas, oferecidas pela primeira vez pelo Plano Agrícola e Pecuário 2018/2019, ainda deve ser pequena, prevê Lazaron. Ele lembra que apenas 5% do orçamento deste ano (do Plano Safra) é destinado a contratos com esse perfil. No caso específico do banco DLL, 94% das operações de crédito contratadas neste ano correspondem a recursos controlados.

"Estamos nos preparando para ofertar essas linhas (do Plano Safra) dentro do prazo previsto, dezembro, mas acreditamos que a procura será pequena, pois o costume dos clientes ainda é (buscar) taxas prefixadas", disse Lazaron em nota. O DLL é subsidiário do Grupo Rabobank e está presente em mais de 30 países. No setor agrícola brasileiro, atua como banco de fábrica de marcas como Valley, Kuhn, LS Tractor, Lindsay, Mahindra, Jacto, Kepler Weber e outras.

Fonte: Portal do Agronegócio

Veja tambem

19/12/2018 | PIB FGV AGROPECUÁRIA CONSTRUÇÃO

PIB cresce 1,2% no trimestre encerrado em outubro, diz FGV

Crescimento do comércio contribuiu para a expansão do Produto Interno Bruto

18/12/2018 | MERCADO FINANCEIRO

Desafios do comércio exterior

O Brasil precisa aumentar seu protagonismo na conjuntura mundial

17/12/2018 | INFLAÇÃO, SELIC, JUROS

Mercado mantém estimativa de inflação em 3,71% este ano

Para 2019, a projeção também não foi alterada em relação à semana passada: 4,07%.

15/12/2018 | FRIGORÍFICOS E ABATEDOUROS

Abate de frangos cai 3,8% no 3º trimestre ante 3º tri de 2017, diz IBGE

Segundo o órgão, agosto teve o segundo maior volume de cabeças abatidas, atrás apenas de janeiro

15/12/2018 | VENDA DIRETA

Fazenda defende venda direta de etanol do produtor para os postos

Ontem (13), um grupo de trabalho da ANP concluiu não haver impedimento regulatório para a venda direta de etanol.

14/12/2018 | ECONOMIA

Mudanças tributárias podem render R$ 52,6 bi em três anos

Em seu cenário fiscal básico para os próximos anos, o Ministério da Fazenda considerou ser possível arrecadar, com novas mudanças na tributação, R$ 16,4 bilhões em 2020, R$ 17,5 bilhões em 2021, R$ 18,7 bilhões em 2022 – um total de R$ 52,6 bilhões em trê

13/12/2018 | ABONO SALARIAL, PIS, PAGAMENTO, SEXTO LOTE

Começa hoje pagamento do sexto lote do Abono Salarial PIS de 2017

Benefício será concedido a 1,7 milhão de trabalhadores

11/12/2018 | COPOM REUNIÃO SELIC BC BANCO CENTRAL

Começa hoje reunião do Copom; expectativa é de manutenção da Selic

De outubro de 2012 a abril de 2013, a taxa foi mantida em 7,25% ao ano e passou a ser reajustada gradualmente até alcançar 14,25% em julho de 2015.

10/12/2018 | MERCADO FINANCEIRO, COTAÇÃO DO DÓLAR

Dólar tem quinta alta consecutiva e fecha o dia cotado a R$ 3,92

Índice B3 da Bovespa começa semana em baixa de 2,5%

09/12/2018 | ROYALTIES, PETRÓLEO

Queda do petróleo afetará pouco contas federais, diz especialista

Redução do preço internacional diminui pagamento de royalties

09/12/2018 | ECONOMIA APOSENTADORIA

INSS divulga datas para pagamento de benefícios

Novo calendário segue a sequência de anos anteriores, que antecipa em cinco dias úteis o início dos créditos para parte dos segurados com renda mensal de até um salário mínimo

09/12/2018 | SELIC BANCO CENTRAL

Copom realiza última reunião do ano, com expectativa de manter Selic

A expectativa de instituições financeiras é da taxa permanecer em 6,5%