Siga-nos nas redes sociais:

Correios terão que pagar indenização por expor carteiros a insegurança

A ação foi movida pelo Ministério Público do Trabalho (MPT). Cabe recurso ao Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região. 15/09/2018 - 08:38:16

Os Correios foram condenados pela Justiça do Trabalho a pagar uma indenização de R$ 500 mil por danos morais coletivos por expor carteiros a situação de insegurança. A sentença da 10ª Vara do Trabalho de Campinas confirma a liminar de dezembro de 2013 que determinava a suspensão de todas as entregas e encomendas em 73 áreas de risco de assaltos nas cidades de Campinas, Jundiaí e Sumaré. A ação foi movida pelo Ministério Público do Trabalho (MPT). Cabe recurso ao Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região.

A decisão da juíza Rita de Cássia Scagliusi do Carmo estabelece ainda que seja feita a imediata e irrestrita prestação de assistência médica e/ou psicológica para os trabalhadores que foram vítimas de assaltos, constrangimento ou violência no exercício do trabalho. Segundo o MPT, a multa em caso de descumprimento desta medida é de R$ 50 mil por trabalhador ou família não assistido.

As multas serão designadas para o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) ou outra destinação indicada pelo Ministério Público no encerramento da ação. A indenização por danos morais coletivos, por sua vez, será encaminhada para projetos e instituições ou órgãos públicos que atuem na defesa dos trabalhadores na área de atuação do tribunal trabalhista da 15ª região, também a ser indicada pela procuradoria.

Ação

A Ação Civil Pública foi movida pelo MPT, sob responsabilidade da procuradora Alvamari Tebet, e pelo Sindicato dos Trabalhadores dos Correios em dezembro de 2013, com base em inquérito que comprovou os assaltos sucessivos que os trabalhadores estavam sofrendo nas três cidades apontadas. Segundo o sindicato, foram 187 ocorrências naquele ano, sem que os carteiros recebessem assistência médica ou psicológica da empresa.

De acordo com o MPT, durante a audiência de instrução os Correios disseram ter contratado uma empresa especializada para fazer a escolta dos trabalhadores, mas o contrato incluía 16 áreas de risco, enquanto o sindicato indicava 73 localidades. A procuradora propôs que os Correios apresentassem um cronograma com medidas de segurança a partir de dezembro e que houvesse aumento da abrangência do contrato para atender todas as áreas de risco.

Além disso, foi proposto um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) em que os Correios se comprometiam a fornecer a assistência médica e psicológica. Como a empresa não assinou o TAC e também não se comprometeram com a escolta, deu-se início ao processo judicial, no qual foi conseguida uma liminar para suspender as entregas nas zonas de perigo.

Procurada pela Agência Brasil, a assessoria de imprensa dos Correios informou que se manifestará apenas nos autos.

Fonte: Ag Brasil

Veja tambem

15/12/2018 | FRIGORÍFICOS E ABATEDOUROS

Abate de frangos cai 3,8% no 3º trimestre ante 3º tri de 2017, diz IBGE

Segundo o órgão, agosto teve o segundo maior volume de cabeças abatidas, atrás apenas de janeiro

15/12/2018 | VENDA DIRETA

Fazenda defende venda direta de etanol do produtor para os postos

Ontem (13), um grupo de trabalho da ANP concluiu não haver impedimento regulatório para a venda direta de etanol.

14/12/2018 | ECONOMIA

Mudanças tributárias podem render R$ 52,6 bi em três anos

Em seu cenário fiscal básico para os próximos anos, o Ministério da Fazenda considerou ser possível arrecadar, com novas mudanças na tributação, R$ 16,4 bilhões em 2020, R$ 17,5 bilhões em 2021, R$ 18,7 bilhões em 2022 – um total de R$ 52,6 bilhões em trê

13/12/2018 | ABONO SALARIAL, PIS, PAGAMENTO, SEXTO LOTE

Começa hoje pagamento do sexto lote do Abono Salarial PIS de 2017

Benefício será concedido a 1,7 milhão de trabalhadores

11/12/2018 | COPOM REUNIÃO SELIC BC BANCO CENTRAL

Começa hoje reunião do Copom; expectativa é de manutenção da Selic

De outubro de 2012 a abril de 2013, a taxa foi mantida em 7,25% ao ano e passou a ser reajustada gradualmente até alcançar 14,25% em julho de 2015.

10/12/2018 | MERCADO FINANCEIRO, COTAÇÃO DO DÓLAR

Dólar tem quinta alta consecutiva e fecha o dia cotado a R$ 3,92

Índice B3 da Bovespa começa semana em baixa de 2,5%

09/12/2018 | ROYALTIES, PETRÓLEO

Queda do petróleo afetará pouco contas federais, diz especialista

Redução do preço internacional diminui pagamento de royalties

09/12/2018 | ECONOMIA APOSENTADORIA

INSS divulga datas para pagamento de benefícios

Novo calendário segue a sequência de anos anteriores, que antecipa em cinco dias úteis o início dos créditos para parte dos segurados com renda mensal de até um salário mínimo

09/12/2018 | SELIC BANCO CENTRAL

Copom realiza última reunião do ano, com expectativa de manter Selic

A expectativa de instituições financeiras é da taxa permanecer em 6,5%

07/12/2018 | ECONOMIA MOEDA AMERICANA

Dólar encerra semana em alta, valendo R$ 3,89

O dólar tem uma alta acumulada de 17,55% no ano

06/12/2018 | PETROBRAS REFINO PLANO DE NEGÓCIOS

Em novo plano, Petrobras focará no refino e redução de endividamento

Diretor diz ainda que plano é reflexo da estatal, e não de uma pessoa

04/12/2018 | DÓLAR BANCO CENTRAL BOVESPA

Dólar sobe e fecha em R$ 3,85, mesmo após intervenção do Banco Central

Depois de duas quedas seguidas, o dólar comercial registrou o maior fechamento em uma semana desde 27 de novembro.