Siga-nos nas redes sociais:

BC mantém taxa de juros em 6,5% ao ano

Essa é a terceira manutenção seguida da Selic 01/08/2018 - 20:00:54

O Copom (Comitê de Política Monetária) decidiu manter nesta quarta-feira (1º) a taxa básica de juros da economia em 6,5%, na mínima histórica.

A decisão foi unânime e era esperada por 36 dos 38 economistas ouvidos pela agência de notícias Bloomberg.

Essa é a terceira manutenção seguida da Selic, após ao Banco Central pegar o mercado de surpresa e encerrar em maio o ciclo de cortes.

"Indicadores recentes da atividade econômica refletem os efeitos da paralisação no setor de transporte de cargas, mas há evidências de recuperação subsequente. O cenário básico contempla continuidade do processo de recuperação da economia brasileira, em ritmo mais gradual do que aquele esperado antes da paralisação", disse o BC em comunicado.

O anúncio do BC se dá após a aceleração da inflação em junho, devido à paralisação de caminhoneiros, e fortalecimento do dólar ante o real. Esses fatores, no entanto, trouxeram certo alívio em julho.

O IPCA, índice oficial de inflação, teve alta de 1,26% em junho, a maior para o mês desde 1995, mas o IPCA-15 de julho (prévia da inflação) já desacelerou para 0,64%.

"A inflação do mês de junho refletiu os efeitos altistas significativos da paralisação no setor de transporte de cargas e de outros ajustes de preços relativos. Dados recentes corroboram a visão de que esses efeitos devem ser temporários. As medidas de inflação subjacente ainda seguem em níveis baixos, inclusive os componentes mais sensíveis ao ciclo econômico e à política monetária", afirma o comunicado.

O dólar, que fechou junho em alta de 4,04% ante o real, terminou julho em queda de 3,5%.

"O cenário externo apresentou certa acomodação no período recente, mas segue mais desafiador. Os principais riscos estão associados à normalização das taxas de juros em algumas economias avançadas e a incertezas referentes ao comércio global. O apetite ao risco em relação a economias emergentes manteve-se relativamente estável, em nível aquém do observado no início do ano", diz o comunicado.

Nesta quarta, o Federal Reserve (banco central dos EUA), manteve a taxa de juros no intervalo entre 1,75% e 2%, conforme o esperado pelo mercado. Mas o Fed mudou o tom do comunicado ao indicar que a economia americana está forte, o que reforça a expectativa de um novo aumento de juros no encontro de setembro.

Taxas de juros maiores nos EUA atraem para o mercado americano fluxos de capital alocados em outras praças, consideradas mais de risco, mas, por isso, com potencial de rentabilidade maior, como o Brasil.

Apesar de indicações recentes mais positivas no câmbio e na inflação, o ritmo do crescimento econômico brasileiro continua fraco.

No início de julho, o governo anunciou a redução de sua projeção para o PIB (Produto Interno Bruto) de 2,5% para 1,6% em 2018.

As previsões entre economistas consultados pelo Boletim Focus, do BC, caiu para 1,5% -há um mês estava em 1,55%. O documento também projeta inflação mais alta, em 4,11%, do que a de quatro semanas atrás, mas ainda abaixo da meta de inflação de 4,5% ao ano.

O Comitê de Acompanhamento Macroeconômico da Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) também reduziu nesta quarta sua estimativa de crescimento do PIB de 2018 para 1,5%. Essa é a terceira sinalização consecutiva de corte nas projeções do grupo: em maio já havia passado de 3% para 2,4% e, na última reunião, em junho, a previsão chegou a 1,6%.

"A economia brasileira continua apresentando baixo dinamismo e grande ociosidade. Além disso, enxergamos poucos fatores que podem estimular uma recuperação no curto prazo. As melhoras na construção civil e no mercado de trabalho não mostraram continuidade, o que nos fez ajustar para baixo a previsão de crescimento deste ano", afirmou Marcelo Carvalho, presidente do comitê.  

Fonte: NOTICIAS AO MINUTO

Veja tambem

22/03/2019 | BNDES PROJETOS

BNDES seleciona 79 projetos inovadores para desenvolvimento este ano

Nessa primeira fase do programa, foram inscritos mais de cinco mil projetos oriundos de todas as regiões brasileiras.

21/03/2019 | ENERGIAS RENOVAVEIS

ABiogás participa de Audiência Pública da ANEEL e apresenta as vantagens do biogás para a geração elétrica

Audiência Pública 001/2019 discutiu a resolução normativa nº 482/2012 e o Sistema de Compensação da micro e da minigeração distribuída

20/03/2019 | MERCADO FINANCEIRO

Plano do Fed sobre balanço e perspectivas econômico estão no foco do mercado

O banco central dos Estados Unidos sinaliza desde o início deste ano uma postura de "paciência" para aumentar os custos dos empréstimos, levando ao fim um ciclo gradual de três anos de aperto monetário marcado por nove aumentos de juros

20/03/2019 | PRÉ-TEMPORADA

Cuiabá Arsenal têm quatro meses para se preparar para o Brasileiro

O público está convidado para assistir o treinamento do Cuiabá Arsenal no próximo sábado (23.03), das 15h30 às 17h30, no Ginásio do Quilombo, em Cuiabá

19/03/2019 | PAULO GUEDES ESTADOS UNIDOS

Paulo Guedes pede que empresários dos EUA invistam no Brasil

Ministro defende reforma da Previdência e cita democracia "estável"

18/03/2019 | ECONOMIA REDUÇÃO

Mercado reduz projeção de crescimento da economia para 2,01%

Foi a terceira redução consecutiva

17/03/2019 | REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Sul e Sudeste se unem e formam consórcio para ações conjuntas

Governadores reiteraram também apoio à reforma da Previdência

16/03/2019 | REFORMA DA PREVIDÊNCIA, ROMBO

União terá dificuldade em pagar salários sem reforma da Previdência

União terá dificuldade em pagar salários sem reforma da Previdência

15/03/2019 | LEILÃO, AEROPORTOS

Leilão de aeroportos testa novo modelo em blocos

O investimento previsto para os três blocos é de R$ 3,5 bilhões, no período de 30 anos.

14/03/2019 | PIS/PASEP RAIS

Último lote do Abono Salarial ano-base 2017 será liberado hoje

O prazo final para o saque de todos aqueles que têm direito ao Abono 2017 é 28 de junho.

12/03/2019 | IGP-M FGV INFLAÇÃO

Índice que reajusta aluguel acumula taxa de 7,68% em 12 meses

11/03/2019 | ECONOMIA PREVIDÊNCIA

INSS proíbe funcionários de falar sobre a reforma para a imprensa

Para advogados, a medida chama a atenção e não é comum, mas é legal e pode ajudar a conter a desinformação