Siga-nos nas redes sociais:

Política, burocracia e logística

As eleições criam uma excelente oportunidade para o debate de temas nacionais e para o cotejo das propostas de cada candidato e de suas respectivas visões (e compreensões) sobre a atualidade brasileira 02/10/2018 - 07:56:55

Por essa razão, seria compreensível esperar que a temática relacionada à agricultura e o agronegócio estivesse na pauta das prioridades, nos planos de governo e nas intervenções midiáticas dos candidatos em geral e dos postulantes ao executivo, em particular. O tema não é frequente e, muitas vezes, as abordagens revelam ou um desconhecimento abissal do condidato ou uma percepção totalmente distorcida.

Basta o senso comum e o conhecimento mínimo da realidade para a compreensão e a defesa de temas recorrentes na pauta político-partidária-eleitoral como aqueles relativos a educação, saúde e segurança pública. No caso do setor primário da economia torna-se necessária certa imersão do universo rural em razão de sua diversidade e complexidade, visto que cada cadeia produtiva guarda uma infinidade de aspectos e de peculiaridades que as distinguem e as tornam únicas. Grãos, fibras, oleaginosas, frutas, bovinocultura, suinocultura, avicultura, café, algodão, cana de açúcar – são dezenas de imensas cadeias produtivas com suas particularidades.

Todo candidato deveria falar com orgulho da agricultura brasileira, que tem sido a locomotiva da economia nacional nas últimas décadas e a responsável pelos sucessos superávits da balança comercial nos últimos anos. Dois problemas vergastam o setor primário em Santa Catarina: o excesso de burocracia e a perda da competitividade. A burocracia se expressa na intervenção do Estado nas atividades agrícolas e pecuárias. Essa intervenção se dá na forma da exigência de licenciamento e autorização prévia para quase todas as atividades, resultado de legislação fiscal e/ou ambiental. Há um nítido excesso de regras e uma série de normas incoerentes, incongruentes e inúteis cujo resultado prático é zero, mas que procrastinam os empreendimentos, encarecem os investimentos e desestimulam o empresário-produtor rural. Existem atividades que dependem de múltiplas autorizações de diferentes órgãos estatais. Desconhece-se o ganho social desta ação estatal. Sob a óptica do empresário-produtor, são custos a pagar (taxas e emolumentos) e tempo a perder (na espera pela obtenção das licenças).

A perda da competitividade é reflexo de fatores “fora da porteira”, pois é reconhecida a eficiência dos estabelecimentos rurais catarinenses. O fato é que as deficiências logísticas estão retirando a competitividade do agronegócio barriga-verde, incluindo-se aqui as agroindústrias de processamento de carnes, leite, grãos e frutas. As más condições do sistema rodoviário asfixiam o setor. Tornou-se cara e penosa a operação de transportar a matéria-prima do campo para a indústria e transferir o produto alimentício das indústria para os portos e para os centros de consumo. Recuperar as rodovias e duplicar as rodovias-troncos são necessidades emergenciais, mas a solução passa pelo modal ferroviário. Precisamos de duas rodovias: uma intraestadual ligando o oeste aos portos catarinenses (para escoar a produção exportável) e outra interestadual ligando o oeste ao centro-oeste brasileiro (para suprir o déficit de 3,5 milhões de toneladas de milho que o parque agroindustrial catarinense consome). Reduzir a burocracia e melhorar a logística é tudo que a agricultura e o agronegócio pedem.

José Zeferino Pedrozo – Presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de SC (FAESC) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar)

Fonte: Portal do Agronegócio

Veja tambem

19/12/2018 | SOJA

Soja mantém estabilidade na Bolsa de Chicago nesta 4ª feira e fundos buscam bom posicionamento

Por volta de 8h15 (horário de Brasília), o mercado subia entre 0,25 e 0,75 ponto, com o janeiro/19 a US$ 9,08 e o maio/19, que continua servindo como referência para os negócios da nova safra brasileira, valia US$ 9,34 por bushel

18/12/2018 | BOVINOS DE CORTE

Com menos de 30 meses de idade, OPOSITOR DA DI GENIO já tem 25 filhos nascidos

Progênie surpreende pelo vigor e por características como racial bonito, ossatura equilibrada e chanfro curto

17/12/2018 | ESQUISAS

Missão marroquina visita Embrapa para saber como controlar lagarta-do-cartucho

A praga, responsável por perdas de até 40% na produção do cereal, está se aproximando do Marrocos, e a missão do país africano é implantar um plano de vigilância fitossanitária para proteção do patrimônio vegetal

14/12/2018 | DEFESA AGROPECUÁRIA

Indea atende caso de raiva em bovinos em Alta Floresta

Os bovinos e equídeos dessas propriedades também devem ser vacinados contra a raiva.

14/12/2018 | SUÍNOS

Cartilha de Boas Práticas na Gestação de Suínos é lançada pelo Mapa

Objetivo é a sensibilização, capacitação e sustentabilidade da cadeia produtiva

13/12/2018 | GOVERNO

Governo compra 11,7 mil quilos de produção rondoniense de café robusta

A Superintendência de Licitações de Rondônia (Supel) deve homologar na próxima semana a licitação para compra de 11,7 mil quilos de café robusta

12/12/2018 | CAPIM-AMARGOSO

Um problema que pode estar além do campo

Como uma das plantas daninhas mais resistentes e complicadas do mercado pode estar afetando mais do que o cultivo e a produtividade

12/12/2018 | Política Agrícola

Ruralistas querem MP com novo prazo para Refis do Funrural

O assunto foi discutido na reunião da FPA desta terça-feira (11), em que os parlamentares define a estratégia do colegiado no Congresso Nacional.

10/12/2018 | SOJA

Vendas antecipadas de soja 2018/19 no MT chegam a 41,33% em dezembro, diz Imea

10/12/2018 | GESTÃO

Cinco dicas valiosas para auxiliar na fertilidade do solo

Relatório da FAO e Embrapa Solos aponta que 33% da terra do mundo está degradada

08/12/2018 | EXPORTAÇÃO

Paridade de exportação do milho mato-grossense recua 2,7%

A paridade de exportação do milho mato-grossense para julho do ano que vem recuou 2,7% no mês passado fechando a uma média de R$ 21,83/saca

07/12/2018 | SOJA

Soja em Chicago trabalha com leves altas nesta 6ª feira e mercado busca se reequilibrar

No paralelo, o mercado observa ainda o bom desenvolvimento do plantio na América do Sul, principalmente no Brasil.