Siga-nos nas redes sociais:

Política, burocracia e logística

As eleições criam uma excelente oportunidade para o debate de temas nacionais e para o cotejo das propostas de cada candidato e de suas respectivas visões (e compreensões) sobre a atualidade brasileira 02/10/2018 - 07:56:55

Por essa razão, seria compreensível esperar que a temática relacionada à agricultura e o agronegócio estivesse na pauta das prioridades, nos planos de governo e nas intervenções midiáticas dos candidatos em geral e dos postulantes ao executivo, em particular. O tema não é frequente e, muitas vezes, as abordagens revelam ou um desconhecimento abissal do condidato ou uma percepção totalmente distorcida.

Basta o senso comum e o conhecimento mínimo da realidade para a compreensão e a defesa de temas recorrentes na pauta político-partidária-eleitoral como aqueles relativos a educação, saúde e segurança pública. No caso do setor primário da economia torna-se necessária certa imersão do universo rural em razão de sua diversidade e complexidade, visto que cada cadeia produtiva guarda uma infinidade de aspectos e de peculiaridades que as distinguem e as tornam únicas. Grãos, fibras, oleaginosas, frutas, bovinocultura, suinocultura, avicultura, café, algodão, cana de açúcar – são dezenas de imensas cadeias produtivas com suas particularidades.

Todo candidato deveria falar com orgulho da agricultura brasileira, que tem sido a locomotiva da economia nacional nas últimas décadas e a responsável pelos sucessos superávits da balança comercial nos últimos anos. Dois problemas vergastam o setor primário em Santa Catarina: o excesso de burocracia e a perda da competitividade. A burocracia se expressa na intervenção do Estado nas atividades agrícolas e pecuárias. Essa intervenção se dá na forma da exigência de licenciamento e autorização prévia para quase todas as atividades, resultado de legislação fiscal e/ou ambiental. Há um nítido excesso de regras e uma série de normas incoerentes, incongruentes e inúteis cujo resultado prático é zero, mas que procrastinam os empreendimentos, encarecem os investimentos e desestimulam o empresário-produtor rural. Existem atividades que dependem de múltiplas autorizações de diferentes órgãos estatais. Desconhece-se o ganho social desta ação estatal. Sob a óptica do empresário-produtor, são custos a pagar (taxas e emolumentos) e tempo a perder (na espera pela obtenção das licenças).

A perda da competitividade é reflexo de fatores “fora da porteira”, pois é reconhecida a eficiência dos estabelecimentos rurais catarinenses. O fato é que as deficiências logísticas estão retirando a competitividade do agronegócio barriga-verde, incluindo-se aqui as agroindústrias de processamento de carnes, leite, grãos e frutas. As más condições do sistema rodoviário asfixiam o setor. Tornou-se cara e penosa a operação de transportar a matéria-prima do campo para a indústria e transferir o produto alimentício das indústria para os portos e para os centros de consumo. Recuperar as rodovias e duplicar as rodovias-troncos são necessidades emergenciais, mas a solução passa pelo modal ferroviário. Precisamos de duas rodovias: uma intraestadual ligando o oeste aos portos catarinenses (para escoar a produção exportável) e outra interestadual ligando o oeste ao centro-oeste brasileiro (para suprir o déficit de 3,5 milhões de toneladas de milho que o parque agroindustrial catarinense consome). Reduzir a burocracia e melhorar a logística é tudo que a agricultura e o agronegócio pedem.

José Zeferino Pedrozo – Presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de SC (FAESC) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar)

Fonte: Portal do Agronegócio

Veja tambem

15/02/2019 | SOJA

Colheita de soja chega a 53% da área prevista em Mato Grosso

Se mantido este ritmo, a semana deve terminar com cerca de 60% da área semeada em Mato Grosso

14/02/2019 | AGRO/ARROZ

Diversificação será tema do Fórum Técnico na Abertura da Colheita do Arroz

Evento ocorre de 20 a 22 de fevereiro na Estação Experimental Terras Baixas da Embrapa Clima Temperado, em Capão do Leão

13/02/2019 | SOJA

Nutrição e produtividade para o cultivo da soja

Ano de 2019 já começa com a soja tendo grande destaque no palco de exportações do Brasil

12/02/2019 | SHOW RURAL

Público de 288.802 visitantes e R$ 2,2 bilhões em vendas

O 31º Show Rural Coopavel recebeu público de 288.802 visitantes no período de 4 a 8 de fevereiro, em Cascavel, no Oeste do Paraná

11/02/2019 | LEILÃO VIRTUAL

Com genética de ponta, Água Preta Agropecuária oferta 3 mil animais em leilão

O 2º Leilão Virtual Água Preta Agropecuária reunirá lotes especiais de bezerros e garrotes precoces padronizados e preparados para entrar em fase de recria com maior capacidade de peso.

11/02/2019 | ADUBOS E FERTILIZANTES

Diversidade reduz dependência de fertilizantes

Pesquisadora diz que a descoberta pode ser um fator importante na redução de custos

09/02/2019 | SUÍNOS

Suinocultura sofre com queda de preços e de exportações em janeiro

Nos principais estados produtores do país, houve queda no preço do suíno vivo, aponta a Bolsa de Suínos

08/02/2019 | BOVINOS DE CORTE

Fazenda de confinamento do Mato Grosso alcança rendimento de carcaça de 54,5%

Nas fazendas que apostam no confinamento como forma de potencializar os ganhos nas carcaças dos animais, um rendimento alto no abate é uma meta constante

07/02/2019 | GESTÃO

Dia de Campo da Cocari bate recorde em atrações e sucesso com o público

Com o tema ‘Agricultura digital: realidades e tendências, a 16ª edição do Dia de Campo de Culturas de Verão e Pecuária da Cocari foi um verdadeiro sucesso

06/02/2019 | GESTÃO

Expedição Safra avalia desafios para a produção paulista de grãos após veranico

Equipe de técnicos e jornalistas participam de seminário nesta quarta-feira (6), com produtores locais, discutindo os impactos do clima na safra de verão

05/02/2019 | AGROTÓXICOS E DEFENSIVOS

Mercado de Adjuvantes chegará a US$ 4,04 bi até 2023

A região norte-americana foi a maior responsável pela presença de players

05/02/2019 | SOJA

Soja tem leve avanço em Chicago nesta 3ª em semana de USDA e Ano Novo Lunar na China

Os preços subiam entre 0,25 e 0,75 ponto, com o março/19 valendo US$ 9,18 e o maio/19 com US$ 9,33.