Siga-nos nas redes sociais:

Implementação do Código Florestal é prioridade na Carta de Porto Velho

O evento promoveu a discussão de estratégias e soluções conjuntas para o enfrentamento a diversos desafios regionais em várias áreas 06/05/2017 - 10:02:51

A implementação do Código Florestal é uma das prioridades da Carta de Porto Velho, assinada pelos representantes dos noves estados durante o 14º Fórum dos Governadores na manhã desta sexta-feira (05.05). O evento promoveu a discussão de estratégias e soluções conjuntas para o enfrentamento a diversos desafios regionais em várias áreas, entre elas, a ambiental.

Conforme o secretário de Meio Ambiente e governador em exercício, Carlos Fávaro, o meio ambiente é o maior ativo da Amazônia e é um tema transversal nas políticas públicas dos estados. “Ao invés de trabalharmos sozinhos, medindo força uns com os outros, temos que nos unir. Juntos somos mais fortes nas tratativas que visam acessar recursos internacionais que auxiliem na efetivação das políticas públicas necessárias para o desenvolvimento sustentável da região”.

No documento que será encaminhado ao presidente Michel Temer, os governadores descrevem a necessidade de promoção de uma unidade política e estratégica na área ambiental, com ações integradas e cooperativas, voltadas à efetivação do Cadastro Ambiental Rural (CAR), ao Programa de Regularização Ambiental (PRA), à política de recursos hídricos, à prevenção e o combate ao desmatamento e políticas e instrumentos de REDD+ (Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal, Conservação, Manejo Florestal Sustentável e Aumento  dos Estoques de Carbono Florestal - REDD+).

O secretário adjunto de Gestão Ambiental da Sema, Alex Sandro Marega, apresentou na quinta-feira (04.05), primeiro dia do Fórum, os resultados de Mato Grosso no painel de compartilhamento de metodologias na implementação da regularização ambiental com dados do Sistema de Cadastro Ambiental Rural de Mato Grosso (Simcar), que tem 113,5 mil imóveis rurais na base dados e deve começar a rodar oficialmente este mês com a missão de promover as análises que permitam aos produtores acessar o PRA.

“Foram dois dias de muitas discussões acerca da necessidade de os estados acessarem incentivos econômicos que permitam desempenhar adequadamente o papel na conservação ambiental da Amazônia, que é uma missão árdua, complexa, que requer muitos investimentos e trabalho conjunto entre os estados e o governo federal no monitoramento, na fiscalização e também nas políticas de inclusão social”, afirma Marega.

Outra decisão importante da Carta visa formalizar o encaminhamento junto à Força-tarefa para Governança do Lima e Floresta (GCF) das necessidades específicas que os projetos de desenvolvimento ambiental contemplem a área de segurança pública, potencializando assim a segurança nas fronteiras e um sistema de inteligência compartilhado entre os estados amazônicos.

Para a coordenadora de gestão do Sistema de REDD+ da Sema, Alcilene Freitas Souza, a participação de Mato Grosso é importante devido aos avanços que o estado tem tido na área ambiental, entre eles, um dos mais recentes é a aprovação da Lei nº 582, que institui a política estadual de mudanças climáticas. “Estamos aqui para compartilhar nossas conquistas e discutir os desafios à serem enfrentados por uma Amazônia mais verde, mais preservada”.

Para a embaixadora da Noruega, Aud Marit Wiig, é imprescindível que os governadores tomem a liderança na discussão dos rumos da Amazônia, região que é chave para o desenvolvimento sustentável do Brasil. Ela frisou que o governo norueguês está firme no compromisso de apoiar os estados nas ações de conservação das florestas e política de REDD+. “Quanto mais engajados, mais rápido encontrarão as soluções que precisam. Estou aqui para parabenizá-los pelo protagonismo e dizer que vamos continuar colaborando com a atuação coordenada dos senhores junto ao governo federal brasileiro”.

Assinaram a Carta de Porto Velho: Confúcio Aires Moura (Rondônia); Tião Viana (Acre); Antônio Waldez Góes da Silva (Amapá); Simão Robison Oliveira Jatene (Pará), Maria Suely Silva Campos (Roraima); Marcelo de Carvalho Miranda (Tocantins); Carlos Fávaro, governador em exercício (Mato Grosso); José Jorge do Nascimento Junior, Secretário de Estado de Planejamento, representando o governador José Melo de Oliveira (Amazonas); Carlos Orleans Brandão Junior, vice-governador (representando o governador do Maranhão).

Descubra a Amazônia

Também participou do evento o ministro do Turismo, Marx Beltrão, que fez o lançamento da campanha 'Destinos turístico à Amazônia' mostrando a proposta de aumentar o número de turistas na região que possui três biomas e 34% das espécies de aves do planeta. "O turismo não tem legenda e nem cor partidária. Estamos dispostos a desenvolver a cadeia do turismo fomentando emprego e renda à região em parceria com todos os estados e essa integração facilitará ainda mais essa relação".                       

Entre outras autoridades presentes estavam o senador Valdir Raupp, de Rondônia, a secretária nacional de Qualificação e Promoção ao Turismo, Teté Bezerra, e a diretora de projetos do secretariado do GCF, Colleen Lyons; além dos secretários de Planejamento (Seplan) e de Segurança Pública (Sesp) de Mato Grosso, Guilherme Müller e Rogers Jarbas, respectivamente.

Protagonismo mato-grossense

Desde 2006, a redução do desmatamento em Mato Grosso evitou que mais de 2 bilhões de toneladas de CO2 fossem lançados na atmosfera, volume maior que a redução de qualquer Estado da Amazônia para o período segundo o Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam) e inclusive maior que a maioria dos países que compõem o Anexo I, do Protocolo de Kyoto (1997). “A redução do desmatamento nos últimos anos deve ser considerada como um patrimônio de todos os mato-grossenses”, afirma Fávaro.

Mas ele explica que atingir esses resultados exige alto investimento do estado, e atualmente, esses custos estão sendo pagos quase que unicamente com orçamento público dos governos estaduais e do governo federal, além de esforços individuais de produtores rurais, comunidades tradicionais e povos indígenas. “Por isso, as parcerias com instituições internacionais são fundamentais”, acrescenta o secretário de Meio Ambiente e governador em exercício.

Fonte: Ass: com Redação

Veja tambem

22/02/2019 | DIA DE CAMPO

BOM JESUS: Dia de Campo reúne cerca de 5000 participantes

O Dia de Campo 2019 da Cooperativa Bom Jesus reuniu cerca de 5000 pessoas no seu campo experimental entre os dias 13 e 15 de fevereiro

21/02/2019 | EFICIÊNCIA ALIMENTAR

Destaque em prova de eficiência alimentar, Touro 3.0 da Agronova é contratado pela Alta Genetics

20/02/2019 | MILHO E SORGO

Brasil deve ter 2ª safra de milho 21% maior com ganho de produtividade

Conforme a média de nove estimativas de consultorias e entidades do setor, o Brasil deverá produzir 65,3 milhões de toneladas de milho na chamada safrinha

20/02/2019 | BIODIESEL

A quem interessa o uso de biodiesel no Brasil?

A atual política de biocombustíveis foi construída a partir de necessidades latentes no cenário nacional: valorização dos produtos nacionais, diminuição do desemprego, fortalecimento da indústria, segurança energética e cuidado com o meio ambiente e com a

19/02/2019 | SOJA

Desafio de Máxima Produtividade de Soja registra quatro mil inscritos com crescimento no número de áreas plantadas

Técnicos do CESB se preparam para realizar cerca de 700 auditorias nas plantações registradas

18/02/2019 | ALGODÃO

Ampliação da oferta tende a restringir a bonança da cultura

O período de bonança vivido pelos produtores de algodão mundo afora está ameaçado pelo crescimento da oferta previsto para a temporada internacional 2019/20

18/02/2019 | GOVERNO

Ministra comenta decisão da China de aplicar medidas antidumping contra frango brasileiro

“Não foi tão ruim assim”, diz Tereza Cristina, lembrando que parte das empresas brasileiras fechou acordo com chineses e não será afetada pela medida

18/02/2019 | UVA/RS

Aberta oficialmente colheita da uva no Rio Grande do Sul

Durante evento realizado na Vinícola Campestre, em Vacaria, governador Eduardo Leite prometeu soluções para enfrentar problemas causados pelo herbicida 2,4d

17/02/2019 | MATO GROSSO

Seca em lavouras de algodão em MT pode comprometer produtividade, dizem agricultores

Mesmo com essa oscilação no tempo, Mato Grosso deve produzir nessa safra cerca de 4,3 milhões toneladas de algodão. Um aumento de 33% a mais em relação a safra passada.

15/02/2019 | SOJA

Colheita de soja chega a 53% da área prevista em Mato Grosso

Se mantido este ritmo, a semana deve terminar com cerca de 60% da área semeada em Mato Grosso

14/02/2019 | AGRO/ARROZ

Diversificação será tema do Fórum Técnico na Abertura da Colheita do Arroz

Evento ocorre de 20 a 22 de fevereiro na Estação Experimental Terras Baixas da Embrapa Clima Temperado, em Capão do Leão

13/02/2019 | SOJA

Nutrição e produtividade para o cultivo da soja

Ano de 2019 já começa com a soja tendo grande destaque no palco de exportações do Brasil