Siga-nos nas redes sociais:

Exportações do agro devem atingir US$ 100 bilhões

Estimativa foi feita por Blairo Maggi durante posse do novo presidente da Embrapa no Palácio do Planalto 12/10/2018 - 10:30:53

Durante a posse do novo presidente da Embrapa, Sebastião Barbosa, no Palácio do Planalto, nesta quarta-feira (10), o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Blairo Maggi, disse que o agronegócio deverá encerrar o ano com exportações de US$ 100 bilhões. “É uma marca que vínhamos perseguindo e, agora, vamos alcançar”, disse o ministro.

O presidente Michel Temer ressaltou a importância do setor do agronegócio para a economia brasileira, lembrando ter contribuído “em grande parte” para a recuperação do PIB (Produto Interno Bruto) do país, que, em maio de 2016, estava em -5,9%, passou a 1% de crescimento no ano seguinte e deverá encerrar 2018 com algo em torno de 1,4%.

O secretário executivo do Mapa, Eumar Novacki, presidente do Conselho da Embrapa, também destacou que “o agro é o pilar mais importante da economia, representando cerca de um quatro do PIB e quase 50% das exportações”.

Transição na Embrapa

A posse do novo presidente da empresa de pesquisa, vinculada ao Mapa, é a primeira estatal a seguir o processo seletivo previsto na Lei 13.303/2016, que passou a exigir qualificação técnica de candidatos à diretoria e maior transparência no processo seletivo.

A escolha do novo presidente que substitui Maurício Lopes foi iniciada em agosto, tendo se inscrito 16 candidatos, dez do quadro e seis sem vinculação com a empresa. O Conselho de Administração analisou currículos, compatibilidades e entrevistou três selecionados que atingiram a melhor pontuação técnica. O melhor avaliado foi submetido à aprovação prévia da Casa Civil da Presidência da República.

A sucessão visa dar continuidade à revisão estrutural e funcional da Embrapa, demandada pelo ministro Blairo Maggi, com o objetivo de aproximar ainda mais a empresa do setor produtivo. O ministro afirmou que a Embrapa "é uma das maiores empresas que a sociedade tem. Apesar de que seu valor não pode ser mensurado como a de uma Petrobras, por exemplo, com seus ativos e capital, uma vez que seu foco é a pesquisa”. Mas acrescentou que os resultados se refletem nos avanços alcançados pelo setor para o qual está voltada.

Sebastião Barbosa, pesquisador aposentado é engenheiro agrônomo, especialista em Entomologia (estudo dos insetos), contratado pela Embrapa em 1976, onde atuou em programas de controle e erradicação de pragas. Por 17 anos também trabalhou na Organização das Nações Unidas para Alimentação e a Agricultura (FAO), no Serviço de Proteção de Plantas, em Roma, Itália; e no escritório para a América Latina e o Caribe, em Santiago, Chile.

Foi também coordenador de cooperação internacional da Embrapa e Chefe-Geral da Embrapa Algodão, centro de pesquisa localizado em Campina Grande, em Paraíba, além de outras atividades exercidas na estatal.

Filho de agricultor sem terra do interior de Minas Gerais, tem pela frente a “missão de conduzir a mais reconhecida empresa pública de pesquisa da América Latina e uma das mais importantes do mundo”, como lembrou Novacki.

Barbosa disse que a Embrapa precisará ser criativa para buscar recursos suplementares e complementares na iniciativa privada e em instituições internacionais. "Para esses desafios, espero contar com mais comprometimento, dedicação e esforço dos empregados, hoje distribuídos pelo país e que já mostraram ter experiência, conhecimento e vivência com o setor privado, na grande revolução que ajudamos a construir na agricultura brasileira".

Fonte: Portal do Agronegócio

Veja tambem

14/11/2018 | ALGODÃO

Abapa prevê crescimento de 24,9% de área na próxima safra de algodão na Bahia

A Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) prevê um crescimento de 24,9% na área plantada de algodão na Bahia na safra 2018/2019

13/11/2018 | BIOTECNOLOGIA

20 anos de biotecnologia no campo e porque devemos preservá-la

A agricultura está presente em grande parte da história do ser humano, que sempre precisou se alimentar e, posteriormente, ter seu sustento por meio desta atividade

12/11/2018 | SOJA

Brasil e EUA vão produzir menos soja, mas estoques são recordes

A última quinta-feira (8) foi o dia dos números. Brasil e Estados Unidos refizeram estimativas de produção de grãos da safra que terminou e da que está sendo plantada

12/11/2018 | LEILÕES

Leilão Nelore Água Fria em Marabá oferta 100 touros PO e 5 mil bezerros

Idealizado por João Guimarães & Convidados, o remate será realizado pela Estância Bahia Leilões e transmissão ao vivo no dia 17 de novembro pelo Canal Terraviva a partir das 14h

12/11/2018 | Política Economia

Relação com os EUA ou com a China? Os dois, responde Marcos Yank

Desafios da Política Comercial de Bolsonaro, por MARCOS SAWYA JANK (na FOLHA DE S. PAULO).

10/11/2018 | AGROGESTÃO

Agronegócio ganha força no governo Bolsonaro

A adesão não foi difícil, já que seu programa de governo respaldava reivindicações históricas do setor, que representa 23,5% do PIB e 44% das exportações brasileiras

09/11/2018 | BOVINOS LEITE

Gado holandês ganha espaço para comercialização online

Iniciativa está abrigada no site da Gadolando para a compra e venda entre os criadore

08/11/2018 | EXPORTAÇÃO

Exportações de carne de frango mantém alta em outubro

Em receita, as vendas do período alcançaram US$ 578,5 milhões, número 8,3% menor que o resultado obtido em outubro de 2017, com US$ 631,2 milhões

07/11/2018 | AZ AGROPECUÁRIA & CONVIDADOS

AZ Agropecuária & Convidados ofertam 3 mil animais em leilão

Assessoria de Imprensa Estância Bahia Leilões

06/11/2018 | TRIGO E CEVADA

Colheita do trigo avança no Rio Grande do Sul

Estimativa da FecoAgro/RS é de que 500 mil toneladas do cereal foram comercializadas antecipadamente

06/11/2018 | GESTÃO

Entidades do agronegócio apresentam resultados do Soja Plus em Campo Grande

Associações e Federações da cadeia agrícola se reúnem no dia 21 de novembro, em Campo Grande (MS), para apresentar os resultados do programa Soja Plus em 2018 e as perspectivas para 2019

05/11/2018 | BOVINOS DE CORTE

Consumo de carne desaba na Argentina

Entre agosto e setembro, consumo per capita na Argentina diminuiu 17%, de acordo com estatísticas da indústria